Assédio Moral – Como Evitar?

0
67

fecomercio-cards

 

Pesquisando sobre o tema Assédio Moral, encontramos um conceito interessante: “É toda e qualquer conduta abusiva que, intencional e frequentemente, tira a dignidade e a integridade física ou psíquica de uma pessoa, ameaçando seu emprego ou degradando o clima de trabalho”.

Não queremos, nesta matéria, abordar o lado da “vítima”. Aliás, se há algo a dizer a respeito, é: saia do papel de vítima!!! Denuncie, tome uma atitude, mas não permita que ninguém fira a sua dignidade, o seu amor próprio. Com calma, tranquilidade, mas com firmeza, com segurança, exija o respeito que todo ser vivo merece. Ninguém tem o direito de tirar o seu equilíbrio. Porque você não permite!

Quero me dirigir especialmente a você, empreendedora⇔dona de negócio, e a você, gestora ⇔ chefe, que tem subordinados (as), e que nos tempos atuais tem mais um fantasma a assombrá-la: o medo das ações judiciais de assédio moral. O receio tem fundamento, pois – como tantos outros assuntos – também neste constituiu-se uma “indústria” de ações…

Mas, como tratar o assunto preventivamente, no dia-a-dia das Organizações?

Sim, não existe milagre ou fórmula mágica! O que existe é um trabalho constante, desenvolvido diariamente, nos 365 dias do ano…

Nos trabalhos de Consultoria que realizo para empresas, quantas vezes ouço a queixa dos Gestores: “Como as pessoas são complicadas!” E retruco: “Não, engano seu! Pessoas são simples de compreender, elas querem tão pouco!” E sabem por onde começa esse pouco? Pelo RESPEITO!

Tenho trabalhado com centenas de funcionários / empregados de Organizações, em Gestão da Ambiência (Cultura & Clima), e o resultado das pesquisas é recorrente. A demanda principal dos funcionários (pasmem! NÃO é salário!) é RECONHECIMENTO. Ah, alguns dirão, as pessoas querem ser reconhecidas monetariamente, com salários, bônus, prêmios, etc.! NÃO, afirmo novamente! As pessoas querem ser reconhecidas como seres humanos, como pessoas que merecem respeito, sempre. Gritos? Nem pensar! Humilhações? Nem pensar! E o mais incrível é que a demanda é atendida se forem aplicadas as mais básicas regras de EDUCAÇÃO! Quais são as palavrinhas mágicas que as crianças aprendem no Jardim da Infância? POR FAVOR, OBRIGADO, COM LICENÇA, BOM DIA, BOA TARDE, ATÉ LOGO…  Uma palavrinha dessas acompanhada de um sorriso (verdadeiro) faz milagres, então! As pessoas estão carentes de atenção, de educação, de boas maneiras. Gasta-se consideráveis somas de dinheiro em cursos de Atendimento, mas muitas vezes não é trabalhado o que está por trás das técnicas, que é o ser humano, e o investimento não dá retorno…

Esse, portanto, é o trabalho preventivo que tem que ser feito diariamente: tratar as pessoas com todo o respeito, preservando-lhes a dignidade, a integridade psíquica e emocional (pois da integridade física nem se fala, pois presumo que todas as medidas cabíveis já foram tomadas!). Elogios fazem parte desse contexto. Quantas vezes deixamos de elogiar um trabalho bem feito pois “a pessoa é paga para isso”, ou “não fez mais do que a obrigação”. Essas são as palavras/atitudes “matadoras”: matam qualquer motivação ou comprometimento! Gritar, xingar, humilhar ao trabalho mal feito? Nem pensar!!! Os erros devem ser corrigidos, sim, e prontamente, mas sob uma perspectiva de desenvolvimento: a pessoa tem que ser ensinada sobre o que é o correto, como fazer e – principalmente – sobre as consequências de fazer mal feito…

Finalizamos com um último alerta: a força do exemplo. Se você, empresária, não está gostando da maneira com que seus prepostos estão tratando os subordinados deles, ou de como os seus funcionários estão tratando os clientes, faça uma autocrítica. Se você não gosta do que está vendo, preste atenção no que você está transmitindo, pois, a tendência é que os comportamentos se reproduzam na hierarquia, do alto para baixo, em cascata.

Uma simples mudança de atitude e comportamento do gestor principal pode mudar toda a ambiência organizacional.

Podem crer: isto não é “papo de consultor”. Meninas, eu vi!!!

Sucesso para todas!

  

Marília Schleder Fuhrmann

Consultora Organizacional e de Carreiras há mais de 30 anos.
www.msfuhrmann.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here