Beleza que vai à ponta dos pés: como estão as suas unhas?

0
183

Falar em saúde e beleza lembra o corpo, a pele, o rosto. Mas o pé, que geralmente fica escondido no calçado, também tem a sua vez. Você está cuidando bem das unhas dele?

Um problema comum das unhas do pé é a onicomicose, uma infecção causada por fungos, que se alimentam da queratina, proteína que forma a maior parte das unhas.

A placa da unha fica comprometida, com alterações que surgem na borda livre da unha e crescem em direção à raiz. A unha assume uma coloração diferente, esbranquiçada ou amarelo-esverdeada, ficando mais grossa progressivamente e se desprendendo do leito ungueal – pode haver uma lacuna entre a unha e a pele. A onicomicose vai piorando lenta e progressivamente e pode levar ao comprometimento da unha em toda a sua extensão e propagar-se para outras unhas.

 

Imagem adaptada: www.qualidadedevida.net
Imagem adaptada: www.qualidadedevida.net

O mal ocorre com mais frequência às unhas dos pés porque estas geralmente ficam em ambientes ideais para os fungos: no escuro, umidade e calor.

O fungo pode ser identificado por meio de microscopia e cultura micológica realizada em laboratório, por meio de exame do material obtido da raspagem das lesões.

onicomicose-ilustracao
Onicomicose

Quem está mais propenso a ter?

Pessoas que utilizam muito calçados fechados e que deixam os pés frequentemente em ambiente úmido tem mais chances de contrair fungos nas unhas. Casos de má-circulação (doenças oclusivas arteriais, fumantes) e de uso de ferramentas contaminadas (pedicure) também favorecem a aparição da onicomicose.

Então é bom evitar usar calçado aberto quando for possível, sempre deixar o pé seco, tratar a má circulação e só frequentar salões que garantem a adequada higienização das ferramentas.

Contraí! Como tratar?

A onicomicose é extremamente resistente ao tratamento e o retorno dos fungos infelizmente é muito recorrente. Mas existe tratamento!

Ele deve ser realizado até o crescimento de uma unha saudável, o que pode levar de 6 até 18 meses, e deve ser feito com acompanhamento médico, preferencialmente por via oral – que tem uma eficácia maior. A extração da unha não é indicada porque se houver lesão da matriz (raiz da unha) a unha crescerá deformada, o que a tornaria ainda mais propensa às infecções fúngicas.

E o uso de esmaltes com antifúngicos é recomendado apenas como terapêutica complementar e a desinfecção dos calçados ajuda a diminuir a volta do fungo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here