Cartão de crédito, bicho papão ou amigão nas finanças?

2
560
Fonte: Happy shopaholic

A falta de organização financeira não faz apenas com que você perca dinheiro, ela também o impede de poupar.

Hoje quero escrever sobre o temido cartão crédito, o bicho papão dos que não conseguem ter organização financeira.

Ao contrário do que muitos possam pensar o cartão de crédito é um amigão nas finanças pessoais e não um vilão, e digo isso por algumas razões.

  1. Se você não terá nenhum tipo de desconto porque pagar a vista?
  2. Pagar tudo com cartão de crédito facilita os controles, pois fica muito fácil você pegar a fatura e identificar cada tipo de despesa.
  3. Os sites de alguns bancos já têm esse serviço e você pode acessar a categorização das suas despesas pagas com o cartão de crédito.
  4. A maioria dos cartões gera pontuação que podem ser transformadas em bens ou serviços.

Muitos de vocês associam pontuação acumulada no cartão a passagens aéreas, e então não se interessam porque acreditam que, se não tem dinheiro para viajar de nada servem esses pontos.

Eu digo que vocês estão muito enganados, já há muito tempo a pontuação acumulada pode ser trocada por ventilador, tapetes, brinquedos, produtos de beleza, roupas, smartfones e até mesmo pelo seguro do seu carro.

Os programas de acúmulo de pontos evoluíram, e muito, e nós temos que usufruir disso!

É lógico que para trocar por itens de maior valor o montante de pontos exigidos é alto e portanto você terá que acumula-los por um bom tempo, dependendo dos seus gastos mensais.

Mas e daí? O tempo vai passar e nesse período vocês terá que pagar seu consumo de alguma maneira.

Porque não fazer isso de um jeito inteligente e que ao final você consiga ter algum retorno?

Imagine se puder comprar o tapete que você queria para sua casa ou pagar a estadia de um fim de semana naquela pousada que você sempre quis ir sem usar nenhum real, usando apenas esse outro tipo de moeda. Pontos são dinheiro em outra forma.

Agora eu pergunto: O que você precisa para isso?

Agora eu mesma respondo: Organização e planejamento financeiro.

Saber quanto e como você pode gastar seus rendimentos ou salário é crucial para que isso dê certo.

Faça a seguinte analogia, o cartão de crédito não é uma máquina de dinheiro, ele não vai fabricar recursos que não existem, ele é somente um cofre que te permite tirar dele o dinheiro que ainda não entrou, porém você não pode tirar nenhum real a mais.

Se você já fez a tarefa que propus na minha última matéria – Controles Financeiros: Faça! ou seja um artista de circo então você já deu o primeiro passo importante e pode agora experimentar essa aventura.

Escolha uma das categorias de despesas que você elencou, apurou e colocou meta de valor a ser atingida e passe a pagá-la só com o cartão de crédito.

Veja que você terá uma meta e não poderá ultrapassá-la, pois ela cabe dentro das suas receitas do mês.

E vá assim aos poucos, mês a mês incorporando mais categorias que serão pagas com o cartão de crédito.

Essa atitude te ensinará como lidar e controlar os gastos, e verá que é igualzinho a controlar o dinheiro na carteira ou o saldo no banco.

Ao final de um período terá acumulado pontos e aí basta escolher como utiliza-los.

Fique atento somente porque existe um prazo de validade para essa pontuação, que varia de acordo com seu banco, bandeira e categoria de cartão.

A vida financeira pode ser muito mais simples e trazer muito mais prazer do que você pensa!

Se precisar de ajuda entre em contato comigo, sou especialista em gestão de PMEs e Finanças Pessoais.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO poder da meditação na vida do empreendedor.
Próximo artigoDia do Psicólogo – 27 de agosto
Ose Fernandes
Dona de um nome, digamos peculiar, Oseli prefere ser chamada de Ose. Tem 47 anos, mais vidas que um gato, porque já as reinventou inúmeras vezes em diferentes aspectos. Adora corrida, vinhos, livros, família toda junta falando ao mesmo tempo, e comer muito e bem. Formada em Administração de Empresas com ênfase em Comércio Exterior e Técnica Contábil construiu sua carreira no mundo corporativo atuando nessas áreas, passou por empresa distribuidora de produtos alimentícios, escritório de contabilidade e encerrou sua carreira como Diretora Financeira de uma confecção no Bom Bom Retiro. Hoje ela é Consultora Financeira especialista em gestão de PMEs e sócia da Suor, uma assessoria esportiva que foi criada muito em função da paixão que ela tem por atividade física e vida saudável.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here