Como recrutar e manter os talentos na sua organização!

0
72

Nove estratégias para motivar os colaboradores e blindar a lealdade também em momentos de crise.

Na maioria das organizações do mundo, o nome do jogo de crescimento é RESULTADO POSITIVO, seja para a marca, seja para o processo ou para as pessoas. E para que isso aconteça, a equipe deve ser orientada a alcançar metas que envolvem todos os aspectos do empreendimento: inovação, preparação de trainees para garantir novas lideranças, melhoria nos processos operacionais, redução de custos, aperfeiçoamento no atendimento ao cliente interno e externo, elaboração de estratégias para aumento do volume nas vendas, melhoria na rentabilidade e liquidez das vendas, ampliar oferta de serviços, desenvolver os colaboradores, entre inúmeras outras metas.

Todas estas frentes de trabalho é que garantem o fracasso ou o sucesso de sua organização, e devem ser tratadas de forma colaborativa. Será normal que cada meta tenha uma prioridade e um esforço, e que sejam diferentes entre si. Mas cada meta é importante e deve ser acompanhada.

A desculpa da recessão, fatores macroeconômicos, mudanças nas taxas de juros, variações cambiais, mudanças na legislação, alterações no comportamento do consumidor etc., acontecem e vão continuar existindo, não podemos nos iludir. Mas não caia na armadilha de jogar a culpa em elementos fora do seu controle. Se você caiu onde outros, sob as mesmas ameaças, sobreviveram, existia mais alguma coisa errada na sua empresa. Não tampe o sol com a peneira e procure os fatos reais.

E um destes fatos, com certeza é a motivação dos colaboradores, que vem diminuindo devido à falta de liderança, processos gerenciais falhos e a mentalidade que citamos anteriormente, onde a culpa é externa, o mercado é que precisa “aquecer” – e o que você está fazendo para ajudar a “colocar lenha nesta fogueira” já que o negócio é “aquecer”?

Num dos inspiradores momentos em que estive com Peter Drucker ele citou uma frase e que divido com vocês:

As únicas coisas que evoluem por si mesmas, em uma organização, são a desordem, o atrito e o mau desempenho.”  Peter Drucker

 

Compartilharei com vocês neste artigo, 9 estratégias que ajudam a motivar os colaboradores e blindar a lealdade também em tempos de crise. Estas estratégias além de reter os talentos de sua organização ainda promovem uma melhora no clima organizacional, elevam a sinergia e qualidade dos times, e favorecem a lucratividade de sua organização. Faça a comparação entre as empresas com motivação maior para vencer com aquelas que dão muita “explicação” pelos seus fracassos e avalie a aplicação destas estratégias em cada uma delas.

Os colaboradores de hoje querem trabalhar para organizações que (1) tenham lideranças em que possam se espelhar e aprender mais e melhores processos; (2) tenham a marca reconhecida e como referência (3) envolvam os colaboradores nos processos com exigência e reconhecimento; (4) remunerem bem; (5) reconheçam e promovam por meritocracia; (6) tenham plano de carreira e valorizam o trabalho em equipe; (7) incentivam o aprimoramento em áreas complementares, o “pensar fora da caixa”; (8) tenham um ambiente de trabalho agradável e colaborativo; (9) realizam feedback.

Estratégia 1 – Tenham lideranças em que possam se espelhar e aprender mais e melhores processos

Acredito que todos necessitamos de lideranças para nos espelharmos, a fim de nos prepararmos para a vida pessoal e profissional, assim como lideranças que possam conduzir a organização, que apresentam a visão de futuro para o sucesso dos negócios e engajam as pessoas nesta missão. Quando sabemos o que estamos fazendo e para onde vamos nossa motivação e autoconfiança são retroalimentadas, e isso transparece nas ações do dia-a-dia, no cumprimento das metas e gera credibilidade a todo o network. Tenha certeza que investidores, fornecedores e concorrentes conseguem reconhecer esta liderança e a percebem nas equipes. E o que melhor para um stakeholder do que a certeza que seu investimento está sendo rentável?

Deixo aqui 5 perguntas chave que utilizo em meus treinamentos, palestras ou consultorias e que merecem momentos de sua reflexão como líder:

  • Qual é o nosso negócio hoje e quais as oportunidades de novos negócios neste mercado? E para atender a esta demanda, que talentos precisaremos contratar?
  • A tecnologia que utilizamos hoje nos manterá no mínimo rentáveis pelos próximos 5 anos? Qual o investimento necessário em pessoas, equipamentos, processos, treinamento, para um upgrade nesta tecnologia?
  • O quanto desejamos crescer nos próximos 5 anos? Quais negócios e processos serão prioritários para atingir esta meta? Temos o plano de ação necessário para chegar lá?
  • Conhecemos de fato as necessidades e desejos de nosso consumidor/cliente? O que ele busca e valoriza, e que hoje deixamos a desejar? Qual o plano que já traçamos para preencher esta lacuna e adequar o nosso processo/atendimento?
  • Quais pessoas precisamos desligar de nosso quadro de colaboradores de imediato? Desejamos contratar pessoas que tenham atitude e vontade de vencer, quais as nossas fontes de busca destes talentos?

As pessoas acreditam e desejam acreditar nas suas lideranças, portanto esclarecer a visão e as regras do jogo desde o início ajuda a inspirar e blindar a lealdade dos colaboradores.

Estratégia 2 – Tenham a marca reconhecida e como referência

Indiferente do ramo de atuação e em que parte do mundo no qual a organização esteja instalada, se ela tem reconhecimento público e sua marca é referência, isso a elevará a ser uma empresa em que as pessoas desejam trabalhar. As pessoas se identificam com as marcas para as quais trabalham, isso eleva o sentimento de pertencimento corporativo.

O motivo pelo qual uma organização vale como marca e suas ações valem milhões senão bilhões, se retrata na sua capacidade de fazer o melhor naquilo no qual ela é especialista. Para isso é necessário que ela tenha um time de primeira linha e caso ela seja a referência na área será procurada pelas melhores mentes para trabalharem nela.

Estratégia 3 – Envolvam os colaboradores nos processos com exigência e reconhecimento

Na vida e nas organizações o que não se mede não existe! Mas o que medir?

Na prática podemos medir resultados pessoais e individuais, assim como resultados de equipe e metas corporativas. Todos estes números são essenciais e devem ser transparentes e factíveis.

O estabelecimento da meta nem sempre é compartilhado, mas a apresentação dos resultados que devem ser atingidos e assim como a evolução das ações deve ser partilhada. Se não se sabe o que atingir e o quanto atingir, do que vale o envolvimento?

Compartilhe, esclareça e envolva as pessoas de toda a cadeia de valor da organização. Somente assim você pode obter o comprometimento e posteriormente reconhecer pessoal e financeiramente os resultados.

Por último, mas não menos importante: o lucro é a semente do amanhã.

Estratégia 4 – Remunerem bem

Remuneração é uma forma de reconhecimento que contrata e retém talentos nas empresas. Sabemos que o salário não é o único benefício que mantém os colaboradores leais a organização, mas com certeza ajuda e muito a manter esta “fidelização”.

A remuneração não necessariamente precisa ser a mais elevada neste ramo, desde que seja justa e compatível com o mercado, e que o colaborador assim entenda. Alguns às vezes estabelecem padrões de salário aleatórios, buscados na internet ou pelo “disseram que”, totalmente infundados e que precisam de um pouco de choque de realidade.

Normalmente profissionais bem remunerados tem atitude positiva, são mais proativos, possuem maior flexibilidade, demonstram interesse e possuem tempo “disponível” para compartilhar seu conhecimento e discutir ideias.

Remunere bem e colha os resultados!

Estratégia 5 – Reconheçam e promovam por meritocracia

Os critérios para uma promoção ou mérito nas organizações devem ser estabelecidos e divulgados a todos. Isso demonstra não apenas ética, mas dirime qualquer dúvida quanto a quem é reconhecido.

O reconhecimento por mérito faz prevalecer atributos e competências que não estejam relacionados às influências de poder ou de troca de favores e de relações sanguíneas, apesar de não podermos ignorar que mesmo divulgando uma política de reconhecimento por meritocracia, as origens familiares e políticas de uma pessoa às vezes pulam etapas em algumas organizações.

Infelizmente ainda assisto também em minhas consultorias o relato de colaboradores que tiveram suas ideias e projetos “roubados” por superiores, e estes levam os louros destas conquistas sem o menor escrúpulo, comprometendo toda uma estrutura e política da organização. Estes indivíduos são laranjas podres nos cestos, e devem ser descartados o quanto antes.

Mas convidamos você a focar e fazer parte do hall de empresas que se fundamentam na ética, e que usam a meritocracia como essência para movimentar talentos e grandes mentes.

Estratégia 6 – Tenham plano de carreira e valorizam o trabalho em equipe

O planejamento de carreira possibilita o trabalho do autodesenvolvimento de cada colaborador, oferecendo possibilidades ao crescimento e amadurecimento profissional, preparando seus sucessores, principalmente, para as posições estratégicas.

Organizações que possuem este planejamento se tornam mais focados em seus objetivos, agem mais rápido, buscam maior conhecimento e trabalham melhor em equipe.

O Plano de Carreira possibilita ainda uma definição do potencial do indivíduo e da equipe programando o tempo necessário para que os objetivos e metas sejam alcançados.

Pessoas que buscam um futuro promissor planejam suas carreiras de curto, médio e longo prazo, e só conseguem encaixar esta sua necessidade em uma empresa que possibilite este planejamento.

Se você souber onde quer chegar, irá procurar o vento que levará até lá!

Estratégia 7 – Incentivam o aprimoramento em áreas complementares, o “Pensar Fora da Caixa”

Implementação de metodologias, alteração de processos, novos produtos e serviços, troca de tecnologia, tudo isso são fatos que fazem parte da realidade de qualquer empresa. Logo, além das formações exigidas no dia a dia, se faz necessário que as empresas complementem as habilidades e conhecimentos dos colaboradores para que estejam dispostos a acompanhar estas mudanças e entendam que este pensamento é fundamental para que continuem eficazes no seu dia a dia. Uma sugestão implementada e que apresenta resultados significativos é o job rotation, onde existe um intercâmbio de profissionais entre as áreas. Um colaborador atuando no papel do outro, e desta forma realizando uma imersão na prática, entendo dificuldades, sugerindo melhorias dos pontos fracos e identificando habilidades que precisam ser aperfeiçoadas por ele na execução deste outro papel. Engenheiros por exemplo podem realizar um intercâmbio com as equipes de suporte com o cliente para potencializarem sua comunicação interpessoal além do modelo cartesiano de sua formação.

É impossível que alguém sobreviva no mercado, principalmente o profissional técnico, industrial ou de serviços sem que exista investimento em sua carreira, leituras complementares e assíduas, e um bom relacionamento interpessoal com colegas de outras equipes. Esse intercâmbio sadio torna a empresa mais unida, mais eficaz e lucrativa em todos os sentidos.

Estratégia 8 – Tenham um ambiente de trabalho agradável e colaborativo

A desintegração de uma empresa começa na falta de comunicação. Áreas que não se conversam, intrigas, ausência de companheirismo e espírito de equipe, tudo são sintomas de um ambiente normalmente ríspido, com clima “pesado”, e que dificultam a convivência e a motivação dos colaboradores.

A integração dos diversos departamentos pode começar, por exemplo, por uma área de lazer comum, um espaço relaxante e propício a boas conversas durante o intervalo do almoço ou pausa para um cafezinho.  A formação de times para práticas esportivas, grupos de trabalhos voluntários, entre outros. Iniciativas não relacionadas à atividade fim dos profissionais, mas que ajudam a estimular o bem-estar, o relacionamento interpessoal, a colaboração e sinergia entre os indivíduos.

Outras ações podem ser pensadas para melhorar o ambiente físico de trabalho, tornando o visual mais atraente e confortável, diminuição de ruído, organização dos espaços para torna-los mais funcionais, etc. Não precisamos chegar ao ponto do jeito Google de trabalhar, com salão de jogos, pufes, cafeteria e hora do sono de 15 minutos – até por que a forma de lidar com as tarefas e os colegas neste tipo de organização é baseada em altas doses de autonomia e de responsabilidade individual, o que dificilmente encontramos nas empresas “comuns” – mas, podemos ser criativos e tornar o nosso espaço de trabalho um ambiente que nos transmita boas emoções e ânimo para as atividades do dia-a-dia.

Estratégia 9 – Realizam feedback

Todas as pessoas vencedoras que eu conheço e convivo gostam de ser reconhecidas. Este reconhecimento não necessariamente é pecuniário, ele pode ser um agradecimento individual, um elogio em público, um e-mail corporativo, uma cerimônia de homenagem. Formas existem e muitas, e devem ser utilizadas para realizar o feedback positivo que alimenta a nossa autoestima e nos faz sentir motivados. Pois não há nada mais frustrante que você dar o seu melhor e não receber nem um simples “Muito obrigado”. Balela quem diga que não liga para elogios, que não gosta de cumprimentos e aprovação pelo que realizou e não trabalha pelo reconhecimento.

Na estratégia 1 tratamos sobre lideranças em que possam se espelhar. Portanto, se você tem uma equipe de trabalho, agradeça. Reconheça o desempenho individual, o desempenho da equipe e comemorem resultados. Como indivíduo, agradeça a seus pares, superiores e aqueles que te apoiam no dia-a-dia. Os gestos e palavras por mais simples que possam parecer possuem a força de transformar um momento em uma memória. Como ser humano, agradeça a sua família, a seus amigos e a Deus pela oportunidade de a cada dia poder se tornar uma pessoa melhor e útil ao seu meio.

Tenho certeza que com as práticas acima você terá sucesso em sua carreira e também em sua vida. Você não irá buscar os talentos, mas eles irão desejar estar com você, pois seu exemplo é o melhor caminho para a retenção destas mentes.  – E no final de um dia ou quem sabe depois de décadas servindo a mesma organização que você, esse colaborador que virou seu amigo possa dizer:  “Entreguei minha vida por algo que valeu a pena”, “foi uma honra ter trabalhado com você”, “ser seu amigo é uma honra para mim”, “eu faria tudo de novo, pois valeu cada momento meu aqui”, “Muito obrigado pela oportunidade”.

A melhor estratégia para motivar os colaboradores e blindar a sua lealdade também em tempos de crise é poder segui-lo, aprender, compartilhar e ensinar – Pois nenhum de nós é tão justo, completo e perfeito quanto todos nós juntos!

Tenham um fabuloso dia hoje e sempre… pois o MERCADO é do TAMANHO de sua IMAGINAÇÃO!

 

Érika Stancolovich
Site: http://www.stancolovich.com.br/
Facebook: www.facebook.com/erika.veiga.7?fref=ts
Fanpage/Instagram: Palestrante Érika Stancolovich
WhatsApp: (12) 981129242

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAcupuntura para eliminar ansiedade e emagrecer
Próximo artigoNão entre numa Furada, saiba como fazer Contratações de Serviços.
Érika Stancolovich
Érika mora em Taubaté, São Paulo, CEO do Instituto Stancolovich, é Oficial R/2 da Força Aérea Brasileira. Doutora em Psicanálise, Mestre em Educação e Psicanálise. Graduou-se em Letras e Pedagogia; possui três Pós Graduações; é professora universitária, também é formada em Psicanálise Clínica, Executive Coach e Neurocoaching. É conferencista internacional e escritora. Ela é Diretora Pedagógica do Conselho Brasileiro de Psicanálise e Psicoterapias (CONBRAPSI). É Presidente do Conselho das Mulheres Empresárias de Taubaté. É Coordenadora Editorial de três obras. É coautora de outras cinco obras. É consultora de carreira. É apresentadora do quadro: “5 min que mudarão a sua vida!” (Programa de incentivo ao empreendedorismo feminino). Possui um e-book: Como treinar o cérebro para alcançar o intangível! Vários projetos e artigos nas áreas: Educacional, Saúde Mental e Empresarial. Prêmios recebidos: – Referência elogiosa em frente a tropa pelo Comandante da Escola de Especialistas de Aeronáutica; – Diploma de honra ao mérito da Academia Taubateana de Letras; – Professora Universitária homenageada na Faculdade Anhanguera de Taubaté e UNITAU (Universidade de Taubaté); – Placa recebida pela UNICID (Universidade de São Paulo); – Certificado recebido pelo Comandante da EEAR, por ter idealizado e coordenado o I Seminário de Educação da Força Aérea Brasileira; – Prêmio recebido pela CONBRAPSI (Conselho Brasileiro de Psicanálise e Psicoterapias); – Menção honrosa recebida pela Polícia Militar do Estado de Minas Gerais; – Menção honrosa recebida pelo Rotary Club de Ponte Nova, MG.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here