Empatia para empreender: como essa habilidade pode ajudar meus negócios?

0
213

Frente à realidade de um mundo altamente competitivo, falar em empatia nos negócios pode parecer estranho. Muitas vezes, a empatia neste mercado é reduzida a uma ferramenta muito conhecida pelos empreendedores, o mapa de empatia, que é excelente para conhecer seu público alvo e gerar valor para ele. Mas hoje não quero falar sobre ferramentas para negócios, quero falar sobre algo anterior ao uso de qualquer ferramenta e a construção de qualquer empresa: a empatia como a habilidade mais importante que um empreendedor deve ter.

Eu costumo dizer que nós não somos um em nossa vida pessoal e outro em nossa vida profissional. É importante que isso fique bem claro para quem quer começar a empreender, ou já abriu seu negócio. Se você não desenvolve empatia na sua vida pessoal, dificilmente a aplicação isolada de uma ferramenta vai lhe trazer o que o seu negócio precisa: conexão com seu público alvo.

Reparou que eu falei conexão e não conhecimento do público alvo? Então, a questão é que você precisa conhecer seu público alvo para se conectar com ele, e conexão só acontece através da empatia enquanto habilidade, característica inerente a inteligência emocional.

A empatia deve estar presente em todos os processos executados pelas empresas, desde o atendimento ao cliente, ao estabelecimento de parcerias estratégicas. É… A empatia também é importante para tratar com parceiros, não apenas com os clientes.

Quando você se conecta desta forma empática ao seu público alvo você não apenas consegue oferecer valor ao cliente e uma campanha de marketing assertiva. Você garante a sobrevivência em longo prazo da sua empresa. Vou explicar melhor…

Manter um cliente custa sete vezes menos que atrair um cliente novo. Agora me diga, porque um cliente compraria de você de maneira recorrente? Apenas se você for capaz de oferecer o que ele precisa e quer ao longo do tempo. Mas, ao longo do tempo, tudo muda. O mundo muda e as necessidades e comportamentos do seu cliente também mudam.

O que fez a Blockbuster não ter criado o NetFlix? Ou ao menos não a ter adquirido, já que tiveram essa oportunidade?

As respostas para isso podem ser várias, mas quero destacar uma única questão: a empatia. É preciso empatia para perceber que o seu negócio existe pelo cliente e que na medida em que a sociedade muda o comportamento, necessidades e desejos do consumidor também mudam. O consumidor da era digital recebe por dia milhares de informações através de email, mensagens, anúncios, notícias, conversas, etc.. Todo esse arsenal vai sendo assimilado e, mesmo inconscientemente, a pessoa se transforma. Mesmo que ela não queira, mesmo que ela não perceba.

Dessa forma, só a habilidade de empatia nos torna capazes de perceber que o modelo de negócio deve estar a serviço do cliente e não a serviço do empreendedor, e é isso que garante a sobrevivência do negócio ao longo do tempo.

É o exercício constante da empatia que separa os verdadeiros líderes dos chefes medíocres, (…) forma empreendedores extraordinários, (…) e equipes de alto desempenho… é a capacidade de se colocar no lugar do outro que nos torna seres humanos melhores, pessoal e profissionalmente. (Tatiana Borsoi).

A essa altura você deve estar se perguntando, então como eu faço para desenvolver empatia?

Vou deixar aqui algumas dicas para você começar hoje a trabalhar neste sentido:

Busque de maneira consciente se colocar no lugar do outro mesmo nas situações corriqueiras. Esta simples atitude vai treinando seu cérebro a buscar entender como o outro se comporta, pensa e sente. Quando isto se tornar um hábito, vai ser muito mais fácil criar conexão com seu cliente de maneira ágil.

Busque o autoconhecimento. Saber reconhecer suas próprias emoções é o ponto principal para poder reconhecer e lidar com a emoção do outro também. Esse ponto é essencial para se estabelecer uma comunicação assertiva com o cliente.

Desenvolva sua inteligência emocional, aprendendo a utilizar suas emoções a seu favor e não contra você. Aprenda a lidar com suas emoções para que não lhe impeçam de ver a realidade de forma isenta e não influenciem no processo de tomada de decisões do seu negócio.

O mais legal no processo de empreender é a pessoa que você precisa se tornar para fazer o seu negócio decolar. Se precisar de ajuda nesse caminho, pode contar comigo!

Se tiver interesse em se aprofundar mais neste assunto você pode se inscrever no meu grupo de WhatsApp onde estarei em contato direto com você.

Grande abraço e até a próxima coluna!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here