Renda – Conquistou corações femininos de todos os estilos.

0
92

ifpd

 

A Renda é presente na sociedade desde o período egípcio, porém o modelo utilizado hoje foi originário e muito utilizado na Itália no século XIII.

As rendas de agulha surgiram em Veneza por volta do século XV, no qual, passou a competir com Flandres, na Bélgica, pelo posto de maior mercado exportador. Enquanto a Região Flamenga era o berço de criação da renda de bilro, produzidos por instrumentos próprios das rendeiras.

De tão elevados, o valor das rendas na época eram comparados com os das joias. Para tanto, no século XVI, Catarina de Médicis, rainha consorte da França foi a responsável pela introdução do tecido na corte. Tanto os clérigos, como nobres e reis usavam o material, como peças de luxo, nas mais variadas vestimentas, desde roupas, acessórios, lingerie, peças de casa e até soldo militares.

Por isso que é tão comum vermos retratos de reis e rainhas usando renda. Maria Antonieta, Ana de Áustria, Rainha Victoria, entre outras, são algumas das célebres fãs do material.

Catherine De Medici
Catherine De Medici

A renda foi trazida para o Brasil em 1808, com a vinda da família real portuguesa.

A produção se instalou no Nordeste, onde surgiu a tradição artesanal da renda Renascença, que persiste em terras tupiniquins e, recentemente, passou a ser muito valorizada lá fora.

No século XX, o uso deixou de ser exclusivo da nobreza, chegando assim aos vestidos de noivas. E como houve modelos deslumbrantes! Grace Kelly, a mais icônica das noivas, claro, escolheu a renda para o seu aclamado Dia D.

É claro que no inverno as rendas sempre tornam a aparecer. Aquela que já conhecemos – preta, com pegada lingerie, boudoir e toda sexy – é figura marcada, principalmente quando se trata dos dias frios. No entanto, dessa vez, os estilistas estão pensando no tecido de forma inusitada.

Acompanhando o São Paulo Fashion Week – SPFW, percebemos que a estratégia toma duas vertentes diferentes. Enquanto uns descontextualizam as rendas brancas ou nudes do seu habitat natural veranil, outros já pensam em peças onde o hibridismo faz todo o sentido.

Cada ano que se passa, as rendas têm se mostrando cada vez mais. Esse ano não poderia ser diferente. 2016 é um ano que elas entram com tudo em cada detalhe, desde o mais simples ao mais sofisticado, como puderam acompanhar na sua história.

Logicamente, não poderíamos deixar de se basear nos cobiçados estilistas do mundo para as nossas grandes inspirações da Coleção Primavera / Verão 2017. Renda-se a esse nobre tecido!

Tendências

Chegando a estação mais esperada do ano, cores, flores, roupas leves, decotes, estampas e tudo o que o mundo da moda e tendências nos oferece e a palheta de cores e estampas, trazendo cores quentes e tons terrosos que se completam, permitindo um leque de possibilidades para arrasar no verão.

Para o verão está no jogo de se esconde e mostra, que remete a sensualidade, ousadia, charme beleza, por isso as peças apresentam texturas mais leves com a beleza das transparências.

A renda é a queridinha da moda de menina agora voltando com tudo, tops que remetem a lingerie. O calor pede pele a mostra e a renda dá um ar refinado, todas podemos abusar das sobreposições…

Além de tudo temos as rendas rústicas com cara de artesanato, elas invadem as passarelas dando um novo visual romântico.

A renda é um dos tecidos mais finos e delicados que existe. Acrescentando romantismo e sensualidade ao look. Uma ótima opção e combinar renda com jeans, deixando o visual super descolado.

 

Maria Ines Mikalovicz

Consultora de Moda

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here