Se adaptando a Melhor Idade

0
76

É certo que estamos vivendo mais e com isso temos que nos adaptar as mudanças físicas e psicológicas que a idade nos trás. Mas com qual qualidade queremos viver essa fase intitulada “melhor idade”? Falando cronologicamente ela chega a partir dos 60 anos, mas biologicamente, segundo Confort, ela chega com a redução da capacidade de adaptação a sobrecargas funcionais. De uma forma ou de outra ela vai bater a sua porta e se você a deixar entrar sem estar preparado, pode acontecer graves acidentes.  De acordo com o ministério da saúde 70% dos acidentes com idosos acontecem dentro da casa, sendo que alguns deles levam até a morte ou a sequelas graves. Por isso planeje sua velhice para que quando ela chegar, sua casa esteja em ordem. Separei 10 dicas valiosas e fundamentais para que essa fase possa ser vivida com autonomia e independência.

  1. Sem Desnível: o máximo de desnível permitido para uma residência é de 1,5 cm, porém o recomendado é que seja todo no mesmo nível. Caso não seja possível optar por rampas com inclinações adequadas estabelecidas em normas.
  2. Aberturas de 80 cm: as aberturas de portas têm que ter no mínimo 80 cm para uma melhor circulação caso precise de um andador.
  3. Pisos sempre claros: a percepção dos espaços fica um pouco comprometida com a idade, sendo assim os pisos claros refletem mais luz e se tornam a melhor opção, porém desde que sejam mais ásperos para não escorregar. Outro fator é definir bem onde é piso e aonde é parede, pois assim a percepção do ambiente se torna mais definida, mas sempre mantendo uma paleta de cores claras.
  4. Sem tapetes: de preferência não ter tapetes, pois eles podem atrapalhar nas circulações ocasionando quedas. Mas se não abrir mão do uso, grudá-lo no chão com fitas autoadesivas.
  5. Barras de apoio: Adaptar essas barras dentro do chuveiro e ao lado do vaso sanitário, ou em lugares que necessitam de força e equilíbrio para que ofereça mais estabilidade ao idoso.
  6. Altura da cama: A altura da cama tem que ser confortável para se sentar e levantar. Essa altura pode variar de pessoa para pessoa, mas entre 46 cm a 60 cm. Os criados também ter que seguir a altura da cama, caso a pessoa queira alcançar alguma coisa no criado é bem mais fácil.
  7. Interruptores: Se atentar para a distância dos interruptores para ascendimentos das lâmpadas, pois eles podem estar distantes um do outro, fazendo com que o idoso tenha que andar no escuro para ascender uma luz. O correto é posicionar interruptores em lugares estratégicos para facilitar os ascendimentos. Porém, caso não seja possível, instalar luminárias com sensores de presença.
  8. Circulações livres: Deixar a circulação o mais livre possível, sem muitos enfeites ou objetos de decoração. Se possível arredondar os cantos dos móveis ou colocar proteção para as quinas vivas, para evitar machucados.
  9. Maçanetas: as maçanetas de portas tem que ser de hastes, para facilitar o ato de pegar sem escorregar a mão. Claro que elas têm que ser com cantos arrendadas para que não haja nenhum acidente.
  10. Ao alcance das mãos: os móveis e utensílios devem ficar ao alcance das mãos, nem muito baixos e nem muito altos. Caso não seja possível refazer todos os móveis, colocar as coisas que mais usa ao alcance das mãos.

Esses são apenas pontos comuns de se observar. Mas vale dizer que cada pessoa tem suas próprias limitações e suas dificuldades e o olhar de uma profissional pode definir mudanças cruciais para morar bem e com muito estilo na melhor idade.

Tatiane Dias

Arquitetura e urbanista, especialista em iluminação e em projeto de interiores

Contato: (43) 9 8421-2528 / WhatsApp
E-mail: tatiarquiteta@hotmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here