As crianças superdotadas e a escola: como ensiná-las?

7
1789
As crianças superdotadas
As crianças superdotadas e a escola - como ensiná-las

A escola consegue lidar com as altas habilidades dos superdotados?

As crianças superdotadas – Em um contexto onde emergem variadas necessidades educacionais, a escola vem sendo palco de imensas dúvidas, principalmente quando se trata em lidar com as altas habilidades de crianças que vem em busca de novos desafios.

Esta é uma importante reflexão, sem sombra de dúvidas, porém, nem sempre este assunto é colocado em pauta, pelo contrário, muitas crianças superdotadas permanecem negligenciadas, não são identificadas e muito menos encaminhadas ao atendimento educacional especializado.

Isto quer dizer, a inclusão destes estudantes que têm tanta sede de conhecimento não acontece de forma eficiente.

E quanto à equipe docente? Como seria o perfil de professores efetivos de superdotados?

É fundamental que os professores motivem estes estudantes a serem aprendizes independentes, criem um ambiente de aprendizagem que integre ideias diferentes, pensem de forma criativa e inovadora, entre outras atitudes que ajudarão estas crianças a se sentirem incluídas na escola.

De acordo com Kane (2016) existem características importantes da literatura de pesquisa sobre professores efetivos dos superdotados.

Algumas destas características foram categorizadas da seguinte maneira:

  • Quanto à questão pessoal / social:
    • Conhecer as necessidades cognitivas, sociais e emocionais dos superdotados;
    • Possuir senso de humor;
    • Estar entusiasmado;
    • Ser culturalmente responsivo.
  • Em relação a estratégias / abordagem de ensino:
    • Ter habilidades para diferenciar o currículo de estudantes superdotados;
    • Empregar estratégias que incentivem o pensamento de nível superior;
    • Incentivar os estudantes a serem aprendizes independentes;
    • Proporcionar oportunidades de aprendizagem centradas nos estudantes;
    • Criar um ambiente de aprendizagem não ameaçador às ideias diferentes;
    • Estar bem organizado.
  • Quanto à característica intelectual-cognitiva:
    • Possuir conhecimento aprofundado do assunto;
    • Ter interesses amplos, geralmente literários e culturais;
    • Ter inteligência acima da média preferencialmente;
    • Ser um aprendiz ao longo da vida;
    • Pensar criativamente;
    • Possuir excelentes habilidades de comunicação.

É possível perceber que os professores efetivos de crianças superdotadas requerem o conhecimento específico sobre a área de altas habilidades/superdotação (AH/SD).

Não há educação de qualidade, se não houver formação adequada.

Para isto, é necessário que a equipe docente se prepare por meio de cursos, especializações, entre outras capacitações que irão contribuir para o preparo destes professores que trabalham com a educação destas crianças.

Referências:

  • Kane, M. (2016). Gifted Learning Communities: Effective Teachers at Work. In: F. H. R. Piske, T. Stoltz, J. M., Machado & S. Bahia. (Eds.), Altas habilidades/Superdotação (AH/SD) e Criatividade:Identificação e Atendimento (Giftedness and Creativity: Identification and Specialized Service) (pp. 77-94). Curitiba: Juruá.

7 COMENTÁRIOS

  1. Achei bastante interessante a matéria. Se faz realmente necessário a qualificação do corpo docente tanto no trato de alunos superdotados, que podem e muito corroborar na melhoria do sistema, quanto para os demais. Só uma educação de qualidade, com estrutura de acordo com a realidade dos alunos que poderemos desenvolver e proporcionar para a sociedade seres humanos capazes de fazer a diferença por um mundo melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here