Buscador ou realizador na sua própria vida!

5
77
Buscador ou realizador
Buscador ou realizador na sua própria vida!

Ser Buscador ou realizador?

Buscador ou realizador: num mundo turbinado de tantas informações buscamos cada vez mais conhecimento para preencher a nossa vida com “coisas”! Buscamos aprimoramento, desenvolvimento, cursos e mais cursos, especializações, títulos, cargos e assim por diante.

Gosto dessa provocação e me pego muitas vezes me questionando sobre essa pergunta. Fui muito buscadora, amo ser buscadora e não há nada de ruim nisso.

Tudo que alimenta minha sede por conhecimento, ali estou! Hoje mais em doses homeopáticas. Sempre amei estudar, conhecer temas relacionados ao mundo do desenvolvimento humano, autoconhecimento, comportamental, familiar, espiritual etc.

Busquei por anos encher minha “caixola” de coisas novas. Foram anos de estudos e especializações que acumulei e que hoje ajudam e contribuem muito como mulher, esposa, mãe, profissional e empresária.

Porém, percebi que só fizeram sentido quando eu realmente busquei experienciar tais conhecimentos na prática, na vida ao vivo e em cores.

E por que estou dizendo isso? Porque durante muito tempo meu único objetivo era buscar “coisas” que pudessem preencher também muitos vazios dentro de mim.

E eu digo que o conhecimento foi absolutamente essencial, mas não me levou muito longe, a não ser ter inúmeros certificados que preencheram minhas instantes e paredes por um tempo.

Passava muito tempo olhando para eles e não me via tão digna de mostrá-los e ou usá-los. A pergunta que fazia era:

“Quais são os caminhos que já percorri de tudo isso que aprendi?”.

Num grande momento da minha vida, aprendi com um grande professor: “Jamais podemos levar alguém para um lugar que nunca fomos”. Pois é, isso virou uma crença que levo não só para a minha vida, como inclusive para a minha profissão.

Experienciar, colocar na prática e na minha vida tudo aquilo que aprendi na teoria. É como essa frase: “Na teoria, prática é outra coisa”! E como é…

Quando decidimos parar de Buscar e realmente Realizar, começamos a perceber que tudo aquilo que aprendemos se torna parte da nossa experiência, nos tornamos mais conscientes, nos apropriamos mais da nossa própria história e do nosso destino.

Ampliamos a nossa percepção a partir do próprio caminhar, da própria travessia, dos próprios tombos, tropeços, acertos e ajustes de rota. Isso é incrível!

Não há nada de errado em ser um Buscador, apenas compreender a dose certa e a postura da qual nos enfiamos em tantas coisas ao mesmo tempo.

Sem ao menos perceber, sentir, aprofundar, silenciar, aquietar, intuir e compreender com o coração se o que está entrando de informação servirá e contribuirá para a nossa vida.

Buscador, busca, busca e busca. Acumula informações e conhecimento, muitas vezes estão num movimento do “fazer” para “ter” e pouco do “ser”.

Ter coisas, acumular bens materiais, continuar tendo e mantendo o fazer para se ter! Se acumula tanto, que pouco tempo se tem para usufruir de tais coisas.

Quando o Ser entra em primeiro lugar há uma grande preocupação com “quem você é” em várias esferas da vida: família, trabalho, relacionamentos, filhos e até para o mundo.

Ser em primeiro lugar é um estado real de presença, de participação que se transforma em valor.

Buscadores normalmente não conseguem achar esse estado de presença, porque estão sempre ocupados em preencher.

Nesse mundo tão rico, onde somos sequestrados por tantas informações, mídia, cursos, lives, e-books, marketing digital que nos bombardeia com perguntas para as respostas que ainda não temos.

Cada vez mais precisamos fazer boas escolhas e mais do que nunca boas “paradas” para aquietar a alma e absorver aquilo que mais agregará positivamente na nossa vida.

A vida é para ser vivida na prática! Não se aprende na teoria.

O Realizador consegue transferir tudo àquilo que aprendeu em experiência e consegue ser um agente, uma referência para outras pessoas, um modelo, um exemplo, muitas vezes uma grande inspiração.

É se imaginar daqui há uns bons anos contando para outras pessoas:

  • Porque valeu a pena ter vivido;
  • O que eu aprendi com…;
  • Meus maiores desafios foram…;
  • Se pudesse dar um conselho…;
  • E por aí vai!

Desejo boas experiências na sua vida!

Clique aqui e acesse, curta e compartilhe minhas outras matérias.

5 COMENTÁRIOS

  1. Que beleza de texto, profundo e bem esclarecedor… gratidão!!! Tenho estado muito no SER e no SENTIR… priorizando uma Slow Life… Está leitura me trouxe mais conexão com a minha verdade… Dá pra ver o seu jeitinho Ju de ser em todos os parágrafos… Beijinho bem quentinho em seu coração minha Coach e Mentora Sistêmica 😘♥️

  2. Glória minha querida! Fico feliz que tenha realmente contribuído com a sua vida! Você é uma realizadora, com certeza!!! Sucesso na sua jornada!!!!!

  3. Parabéns pela matéria, Juliana Monteiro, me fez fazer várias reflexões, uma jornada em todo meu caminhar. E percebi que, HOJE, estou no caminho certo, sendo realizadora e buscadora nos pontos essenciais para a construção e continuidade da minha realização continua. Gratidão por esse entendimento que me permitiu ter, com essa matéria maravilhosa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui