Como a criatividade pode ser incorporada na gestão?

0
4869
criatividade
Como a criatividade pode ser incorporada na gestão?

Uma dose de criatividade, por favor!

Sempre associei a criatividade ao fazer diferente. Como se você pegasse o mesmo produto e o desenvolvesse de outra forma – ou criasse algo novo.

Mas, não é só fazer diferente! É tornar melhor, mais interessante e com resultado.

Quantas vezes você já ouviu:

  • Tente pensar fora da caixa?
  • Você realmente encontrou sentido nisso?
  • Quantas vezes pensou, pensou, e não conseguiu?

Eu já escutei e falei inúmeras vezes, até um dia fazer uma dinâmica com a minha equipe utilizando uma imagem e uma folha para que fossem registradas as seguintes impressões:

  • O que você pode encontrar fora da caixa?
  • Qual o seu temor em sair da caixa?
  • O que é necessário fazer para atingir o que está fora?

Acompanhei durante uns dois meses a interação da equipe com essa folha que ficou fixada no mural. E foi aí que pude entender e colaborar com essa reflexão.

A primeira reação que percebi foi o medo. A segunda foi relacionada à insegurança com o desconhecido e a terceira foi o apego à zona de conforto.

Então, foquei em três pontos para auxiliar a minha equipe:

  • Reforço da relação de confiança para exercitar o ensaio e o erro;
  • Tempo para o aprofundamento do conhecimento técnico e de casos;
  • E tudo isso conjugado a sessões de Coaching, com o objetivo de identificar os bloqueadores da criatividade.

Os resultados foram progressivos e para cada perfil de pessoa ele se manifestou de forma diferente.

O mais importante nesse processo foi a escuta e a construção de um diálogo transparente e propositivo, onde buscamos significar de forma coletiva a importância da criatividade para a vida e para o resultado do trabalho.

Ao ler um artigo do Enfil¹ cartunista brasileiro, fruto de um curso que ministrou sobre criatividade, ele nos diz que:

“Criatividade é uma questão de concentração. Que sem concentração ela não acontece, e esta concentração às vezes é dolorosa, demora muito tempo e dá um trabalho danado”.

Na sequência ele foi longe e abordou, dentre outros elementos, o conhecimento, a troca, a dedicação e a pressão. Nesse último ele usa a figura de um cachorro preto feroz atrás de você: ou você faz ou o cachorro te morde!

A grande sacada disso tudo é perceber que a criatividade nos tira do sufoco, do apuro! Ela pode nos salvar da mordida do cachorro preto! Ou melhor dizendo, nos dias de hoje: do efeito “Coronavírus”!

A criatividade, também, foi definida por Osho², líder religioso indiano, como a “maior rebelião na existência”. E o que é rebelar nesse caso? É fazer diferente, sem medo de errar fazendo! Sem medo de ser! É uma forma de resistir!

Hoje, não devemos alimentar o mito de que a criatividade é um dom e só se manifesta em artistas. Ela é a reunião de diferentes conhecimentos e habilidades, associados ao perfil de cada pessoa, e em alguns casos também estará associado ao tamanho do sufoco que esta precisa resolver.

Por fim, não posso deixar de falar da inspiração, um elemento que habita em nós e é responsável pela essência da criatividade. Mas, apesar de ser nossa e estar em nós, ela precisa ser ativada!

Eu, por exemplo, preciso interagir com as pessoas e com a arte, estudar e concentrar muito para despertar e materializar a minha criatividade!

Além disso, é válido mencionar a importância da utilização de técnicas e ferramentas de apoio ao estímulo e a orientação da criatividade.

Elas fazem muita diferença! Para aumentar o meu repertório pessoal e profissional, faço cursos para conhecer metodologias e até observar como as pessoas falam de forma diferente o mesmo assunto.

Uso, em meus trabalhos de consultoria, design thinking para ativar novas formas de fazer e pensar, dinâmicas que envolvam a lógica de gamificação, recursos como Lego – Playful Business e invento a partir das “rodas” que já existem!

Percebe que há um investimento para disparar a criatividade? E disso tudo, o importante é respeitar o perfil e a potência de cada pessoa ou grupo?

Então é isso: criatividade não depende apenas do que vem de dentro, mas da interação com o mundo, dos encontros de ideias, saberes e de uma boa dose de provocação e pressão!

Fonte:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here