Mulheres do agronegócio – O que elas têm a oferecer?

0
1100
Mulheres do agronegócio
Mulheres do agronegócio - O que elas têm a oferecer?

Confira as últimas novidades das mulheres agraristas da UBAU!

Mulheres do agronegócio o que têm a oferecer? Elas escrevem livros, promovem eventos e palestras, estão impulsionando o setor com profissionalismo.

Você sabia que mais de 40% dos trabalhadores e pessoas envolvidas com o agro são mulheres? A maior parte das mulheres trabalha nas agroindústrias ou agrosserviços, mas também cresce a participação feminina nas atividades dentro da porteira, àquelas que são feitas nas propriedades rurais e fazendas.

Elas estão estudando e se especializando a fundo, seja para assumir postos de trabalho em propriedades e empresas rurais familiares ou até mesmo em cargos de relevância em grandes empresas e multinacionais do agro.

Ocupam com desenvoltura cargos políticos e institucionais no agronegócio, a exemplo da Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Tereza Cristina ou da Presidente da Sociedade Rural Brasileira Teka Vendramini.

A participação do agronegócio no PIB brasileiro cresceu rapidamente e nesse ano de 2021 a expectativa é que represente mais de 30%! Nenhum outro setor da economia gerou tanta renda e empregos, ainda mais considerando os entraves gerados pela pandemia na indústria e serviços.

Os brasileiros voltaram seus olhos para o agronegócio e descobriram que de fato o “Agro é tech, agro é pop, agro é tudo”.

Porém, como todo empreendimento, o agronegócio tem seus desafios, problemas climáticos e quebras de safra, carência de recursos financeiros e seguro agrícola, embaraços aduaneiros e legislação tributária, trabalhista e ambiental complicadas. Estes são apenas alguns exemplos dos desafios dos produtores rurais e profissionais do agronegócio enfrentam.

Para ajudar a superar as dificuldades é possível contar com a colaboração e trabalho de profissionais do direito, como advogados(as) e outros da área, que sejam especialistas nas causas agrárias e do agronegócio, pois existem muitas leis, decretos e portarias que regulam a atividade.

Pensando nisso, existem associações como a União Brasileira dos Agraristas Universitários (UBAU) que tem por objetivo estimular o estudo e a pesquisa do Direito Agrário e aplicado ao Agronegócio, promovendo cursos, congressos, palestras, livros sobre o assunto, para ajudar profissionais da área jurídica a melhor atender as demandas dos produtores rurais, agroindústrias, cooperativas agrícolas e demais pessoas e empresas relacionadas ao agro.

Dentro da UBAU há uma Comissão destinada às mulheres que tem por lema ser “A voz feminina no agronegócio”.  Em 2021, a Comissão Nacional das Mulheres Agraristas da UBAU (CNMAU) lançou livro com artigos sobre casos do agronegócio escritos somente por mulheres chamado “Direito Agrário na Prática: casos jurídicos reais sob a percepção das mulheres agraristas – Estudos em homenagem à Ministra Tereza Cristina”, coordenada por Heloísa Bagatin Cardoso e Outros, em parceria com a Unipampa.

A obra tem versão e-book gratuita e pode ser acessada por QR Code ou pelo seguinte link:

https://drive.google.com/file/d/14esCx4g__712vGccesAwzeiyNPC86cKt/view

Livro Direito Agrário
Livro Direito Agrário na Prática

Renegociação de Dívida
Renegociação de Dívida de Crédito Rural

A Comissão também está organizando o II Encontro Nacional das Mulheres Agraristas, que acontecerá no dia 12 de novembro (sexta-feira), às 14:00 horas, no auditório da Sociedade Nacional da Agricultura (SNA), no Rio de Janeiro. As vagas presenciais são limitadas e as inscrições podem ser feitas no e-mail: secretaria.cnmau@gmail.com

O evento será transmitido de forma online e gratuita pelo YouTube no Canal da TV Agrarista da UBAU: II ENCONTRO NACIONzAL DAS MULHERES AGRARISTAS – YouTube

O I Painel será sobre valor agregado nos produtos agropecuários e contará com palestra sobre rastreabilidade e certificação de produtos orgânicos da Diretora de Orgânicos da SNA Sylvia Wachsner, exposição sobre crédito verde da advogada Ticiane Figueirêdo, especialista em operações de barter.

O II Painel será acerca das questões fundiárias polêmicas, o Presidente da Comissão de Assuntos Fundiários da UBAU Rogério Devisate falará sobre regularização, a advogada Luana Ruiz que já atuou junto ao MAPA abordará o marco temporal para terras indígenas, tema que está sob apreciação no Supremo Tribunal Federal, e a advogada Daniela Giacobbo palestrará sobre licenciamento ambiental para atividades agrárias em terras indígenas, tema do seu artigo no livro “O papel do agronegócio brasileiro nas novas relações econômicas mundiais”, realizado sob sua coordenação e de Leandro Mello Frota, que será lançado no evento, com o apoio da editora Synergia.

O III Painel terá discussões a respeito da sustentabilidade e infraestrutura no agronegócio, com as professoras Luciana Vianna e Maria Cristina Gontijo abordando sobre ESG (environmental, social anda governance) que são as medidas práticas ambientais, sociais e de governança que empresas no agronegócio precisam observar, e o Diretor da SNA Márcio Sette Fortes trará uma análise sobre a competitividade sustentável no agro.

O IV e último Painel apresentará o trabalho de algumas instituições que atuam em prol do agronegócio, o Diretor Jurídico Frederico Price Grechi explicará qual o papel da SNA, a Deputada Federal Jaqueline Cassol irá relatar as atividades da Frente Parlamentar da Agropecuária, e a Procuradora Federal Beatriz Monzillo de Almeida vai expor sobre os projetos em andamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O evento da Comissão Nacional das Mulheres Agraristas da UBAU (CNMAU) conta com o apoio de diversas instituições, como a Sociedade Nacional da Agricultura (SNA), OAB do Rio de Janeiro e do Paraná, Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (FARSUL), Portal do Direito Agrário.com, Liga Acadêmica do Agronegócio do Mackenzie (AgroMack), Liga Universitária de Agraristas (LUA),  Universidade Santa Cecília, Fundação Centro de Excelência Portuária de Santos (Cenep Santos), Instituto de Direito Constitucional e Cidadania (IDCC), Escola de Agraristas, Finagro, Geoaster, Revista Destaque News, Revista aEmpreendedora, Agroresultys, bem como escritórios de advocacias: Daniela Giacobbo, Spancer de Almeida Advogados Associados,  Sibele Veremzuk, Lawand&Gontijo Advogados, Tagliari Advogados Associados, além do apoio e patrocínio de brindes da Faculdade de Direito de Franca, Portal Agrolei e Empório da Amazônia.

E aí? Me conta a sua opinião, também concorda que as mulheres do agronegócio têm muito a oferecer, e escrevem livros, promovem eventos e palestras com profissionalismo no setor do agronegócio? Deixe seu comentário abaixo!

Clique aqui e acesse, curta e compartilhe minhas outras matérias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui