Pílulas para alinhamento com a Equipe

1
261
Pílulas para alinhamento com a Equipe

O ano começou, que tal fazer acordos com a sua equipe para que todos possam performar melhor em 2019? Para que isto ocorra vamos disponibilizar Pílulas para alinhamento com a Equipe.

Se está com muitas atividades deve pensar “não tenho tempo para isto”, ou “já falo com eles todos os dias, para que parar agora e fazer este alinhamento com a equipe?” ou ainda “não adianta, preciso dizer o que precisam fazer, caso contrário as coisas não andam”.

Se algumas destas respostas, ou outras respostas similares te passaram pela cabeça, peço um voto de confiança e “tome estas pílulas”, pois elas foram feitas especialmente para você.

Não precisa fazer todas as reuniões num único dia, verifique sua agenda e reserve pelo menos 60 minutos por dia, assim no final de um mês terá conversado com aproximadamente 20 pessoas.

Se tiver uma equipe maior reserve 60 minutos de manhã e 60 minutos de tarde para agilizar estas reuniões de alinhamento.

A seguir estão algumas questões, como sugestão, para que você possa ter ideia de como funciona e elaborar as melhores questões a serem tratadas:

  1. Inicie a conversa dizendo, você pode estranhar, mas vamos iniciar este ano de forma diferente, independentemente do tempo que estamos trabalhando juntos, vamos começar um novo ciclo e quero que seja um ciclo virtuoso, de ganhos e crescimento para todos.
  2. Proponho que nesta reunião possamos nos conhecer melhor e assim certamente poderemos juntos construir um ambiente de trabalho sadio, harmonioso e produtivo.
  3. Para começar gostaria de conversar sobre você, as suas atividades e como você percebe a empresa:
    1. Quais são suas metas pessoais e profissionais?
    2. O que você tem feito para assegurar que está cumprindo estas metas? Elas estão em alinhamento com o seu momento na organização? Como poderá fazer este alinhamento?
    3. Como posso ajudá-lo?
    4. O que gostaria de começar, parar ou continuar a fazer?
    5. Quais são as suas dificuldades hoje?
    6. Como pode utilizá-las de forma a se transformarem em alavancadores?
    7. Quais são as questões sob controle?
    8. O que vai fazer para assegurar que continuem desta forma?
    9. Em que áreas você sente que precisa de mais apoio, estrutura e direção?
    10. Quais as opções?
    11. Existem barreiras?
    12. Como podem ser removidas?
    13. O que você acha que pode ser feito de forma diferente, com maior ou menor frequência?
    14. Peça para que ele recapitule os acordos realizados. Certifique-se que as questões principais ficaram claras.
    15. Fale-me sobre a forma que você gostaria que fosse acompanhado o seu trabalho e como gostaria que fosse realizado o feedback.
    16. Qual a periodicidade?
    17. Em sua opinião como a nossa área é percebida pelos demais?
    18. Qual a razão desta percepção?
    19. O que você teria de sugestão para a nossa área?
  1. Fale do desafio da sua área e que gostaria de contar com a ajuda da equipe e em particular do funcionário em questão.
  2. Comente da forma com que gosta de trabalhar, da sua forma de feedback e de como vai fazer para adequar a sua maneira com a expectativa que o funcionário comentou na entrevista.
  3. Comente que vai analisar as situações de melhoria que ele trouxe e que em outro momento voltarão a conversar.
  4. Se coloque a disposição e peça a colaboração dele.
  5. Agradeça a sua disponibilidade e a conversa franca que ocorreu.

Lembre-se durante a conversa de praticar a escuta ativa, prestar atenção para os canais sensoriais (visual, auditivo e cinestésico), estilos de comunicação (racional, pragmático, reflexivo e afetivo) e busque entender o Sistema de Valores Motivacionais (MVS) do outro, fazendo empréstimo do estilo do outro utilizando a empatia para ser mais assertivo nas abordagens.

Boa sorte e sucesso.

Se este tema fez sentido para você, te convido para se aprofundar no assunto definindo formas de utilizá-lo ao seu favor.

# alinhamentos, alavancadores, propósito, legado, opções, barreiras, estilos de comunicação, canais sensoriais, feedback, Escuta Ativa, Sistemas de Valores Motivacionais

Fontes de Consulta:

  • BARÇANTE, L. C.; CASTRO, G. C. Ouvindo a voz do cliente:transforme seu funcionário num parceiro. 3 ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1999.
  • BEKIN, S. F. Conversando sobre endomarketing. São Paulo: Makron Books, 1995.
  • BOGMANN, I. M. Marketingde relacionamento: estratégias de fidelização e suas implicações financeiras. São Paulo: Nobel, 2002.
  • BRUM, A. M. Um olhar sobre o marketingPorto Alegre: L&PM, 2000.
  • BRUM, A. M. Endomarketing como estratégia de gestão:encante seu cliente interno. Porto Alegre: L&PM, 1998.
  • BULGACOV, S. Conteúdo e processo estratégico: estudo comparativo de casos na indústria alimentícia do Paraná. Tese do curso de Pós-Graduação da EAESPS-FGV, 1997.
  • CATTELL, R.B. Abilities: Their Structure, Growth and Action. Boston: Houghton-Mifflin, 1971.
  • CERQUEIRA, W. Endomarketing:educação e cultura para a qualidade. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1994.
  • ERIKSON, E. Childhood and Society. New York: W.W. Norton, 1974. (Infância e Sociedade, Zahar Editores)
  • FROMM, E. Man For Himself. New York: Holt, Rinehart, and Winston, 1947.
  • MCKENNA, R. Marketing de Relacionamento.9ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.
  • Personal Strengths Publishing, Inc., Carlsbad, CA, USA
  • E.H. Teoria da Consciência dos Relacionamentos
Artigo anteriorObesidade em cães, saiba os riscos e como prevenir
Próximo artigoRedes sociais aumentam taxas de depressão entre meninas
Léia Cordeiro
Colunista Oficial, com publicações mensais Proprietária da LCGRH Serviços de Apoio Administrativo Ltda. Doutora em Administração pela Facultad de Ciencias Económicas de la UnaM – Argentina (2009), Mestra em Marketing e Gestão Empresarial (Stricto Sensu) – pela Universidade Internacional – Lisboa (2006). Graduada em Serviço Social pela Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Curitiba (1982) e em Administração de Empresas – FACET (2005). Pós-graduada em Treinamento em Recursos Humanos pela FAE/CDE (1990) e em Metodologia do Ensino Superior (Lato Sensu) pela FESP (2000). Formação em Dinâmica de Grupo pela SBDG (1999), “Practitioner” em Programação Neurolinguística – Colégio Brasileiro de Programação Neurolinguística Dr. Walter de Biase da Silva Filho (1998) e Personal e Professional Coach pela Sociedade Brasileira de Coaching - SBC. Certificação Internacional em Coach pelo ICL – Portugal e ICF – USA (2014). Credenciada nas tecnologias DiSC, SDI®, TMP® e PerformanSe. Experiência de mais de 36 anos na iniciativa privada e pública como SEAB-PR, SEDU-PR, Escola de Governo, ADAPAR, COPEL, SESI, SINDAFEP, SINAPRO, Grupo Gerdau, Conduspar Condutores Elétricos, Jasmine Alimentos, Administradora Educacional Novo Ateneu, De Bernt, FAE, ISAE/FGV, Dom Bosco, Estácio, UNIVEB, UNINTER, GACEA, UNIVEB, UNIBRASIL, entre outras.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here