Nem só de primavera vive o mês de setembro

Setembro Verde, um assunto importante que vai além da capacidade que algumas pessoas têm de associar os meses do ano às cores.

A sinestesia é uma condição neurológica presente em 1 a cada duas 2 mil pessoas no mundo. Ela faz com que um estímulo a um dos sentidos provoque reações em outro. Como se os cinco sentidos se reunissem para analisar uma determinada situação e todos eles opinassem ao mesmo tempo.

Esta semana ouvi o relato de três pessoas que enxergam os dias da semana e os números em cores. Achei fantástico! Eu não consigo fazer isso.

Sem dúvida os sinestetas, como são chamadas as pessoas com sinestesia, têm uma maneira diferente de experimentar o mundo ao seu redor. No entanto, essa condição não causa qualquer impedimento ou dificuldade em suas vidas.

Setembro Verde é uma campanha que convida os brasileiros a refletir sobre três importantes temas: a doação de órgãos; a prevenção do câncer no intestino; e a luta da pessoa com deficiência.

Vamos nos ater ao terceiro item dos mencionados acima sem diminuir a importância dos outros dois.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2010), no Brasil estima-se que um 23,9% da população apresenta algum tipo de deficiência. O que representa quase 1/4 dos aproximadamente 200 milhões de habitantes.

Desde a Constituição Federal de 1988, as pessoas com deficiência são mencionadas segundo seus direitos garantidos pela lei.

O Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência foi instituído em 1982 e oficializado em 2005 através da Lei nº 11.133 sendo escolhido o dia 21 de setembro.

No ano de 2015, com a instituição da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (nº 13.146), os temas que permeiam a vida deste segmento da população passaram a ter um pouco mais de visibilidade.

A inclusão da pessoa com deficiência é um tema atual e totalmente legislado. Apesar de que a fiscalização ainda é bastante precária ou quase inexistente na maior parte do território nacional.

Precisamos abandonar algumas crenças sobre as pessoas com deficiência. Romper paradigmas provenientes de tempos quando a razão humana se encontrava obscurecida pela privação do conhecimento. Algo inaceitável para nossos dias quando o acesso à informação se encontra praticamente na ponta dos dedos.

Vejamos alguns conceitos básicos que podem ajudar no processo de reflexão sobre o tema:

Pessoa com deficiência – Quem é?

Pessoa com deficiência é aquela que, além de muitas habilidades e possibilidades, possui, também, limitações do tipo permanente.

Essas limitações podem ser de natureza física, mental, intelectual ou sensorial.

Ao entrar em contato com barreiras atitudinais, arquitetônicas, comunicacionais, metodológicas, programáticas e outras, a pessoa com deficiência pode se ver impedida de atuar de forma plena e efetiva em condições justas com as demais pessoas.

Pessoa com mobilidade reduzida – Quem é?

Pessoa com mobilidade reduzida é aquela que tem, por qualquer motivo, dificuldade de movimentação, permanente ou temporária.

Quando há uma redução efetiva da mobilidade, da flexibilidade, da coordenação motora ou da percepção. Isso inclui o idoso, a gestante, lactante, as crianças pequenas, a pessoa com criança de colo e a pessoa obesa.

Como se referir à pessoa com deficiência?

Utilizar sempre um substantivo: pessoa; criança; menino; menina; seguido da preposição com – pessoa com; criança com; mais o adjetivo referente à situação específica. Assim temos o termo correto: pessoa com deficiência.

A pessoa sempre vem antes da deficiência, ou seja, a pessoa é, e sempre será maior e mais importante que a deficiência. A cegueira, surdez, paralisia ou qualquer outra peculiaridade é apenas uma característica e nunca será suficiente para definir uma pessoa.

Nunca use a palavra portador, porque as pessoas não carregam suas deficiências. Siglas como PNE, PCD, ou qualquer outra para se referir a uma pessoa com deficiência estão dispensadas. Termos como deficiente; doente; ou com problema para falar sobre as pessoas com deficiência são totalmente inadequados.

Lembre-se! Deficiência não é sinônimo de doença. E, problemas todos os seres humanos temos, independentemente de ter ou não uma deficiência.

Acessibilidade – O que é?

Acessibilidade é um direito universal de todas as pessoas, não apenas da pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.

Acessibilidade é uma característica do ambiente que garante uma melhor qualidade de vida para todas as pessoas. Deve estar presente nos espaços públicos, no transporte, na informação e na comunicação.

Sua implementação é fundamental e muitas vezes são necessárias mudanças de pensamento e atitude.

No Brasil, a norma que estabelece critérios e parâmetros técnicos de acessibilidade é a ABNT NBR 9050.

Imaginar-se no lugar do outro é um ótimo exercício para se pensar em acessibilidade.

Desenho Universal – O que é?

É um termo proveniente da arquitetura. Pode-se dizer que um objeto ou ambiente físico foi planejado seguindo os parâmetros do Desenho Universal quando serve para o uso autônomo e seguro da maior quantidade possível de pessoas, independentemente de idade, estatura ou limitação por deficiência.

Como interagir com pessoas com deficiência?

Ao se deparar com uma pessoa com deficiência tente não se prender aos “achismos”, isso significa tudo o que você acha que a pessoa não é capaz de fazer. Dê a ela a chance de se dar a conhecer em todos os seus aspectos, inclusive aqueles que não são aparentes.

As pessoas com deficiência desenvolvem técnicas pessoais para realizar as atividades do cotidiano, por isso, sempre pergunte se ela quer ajuda e como você pode ajudar.

Às vezes, uma tentativa de ajuda inadequada pode atrapalhar. Em outros momentos o seu auxílio é essencial.

Seja cortês, domine seu medo e insegurança frente ao desconhecido. Dificuldades com certeza aparecerão. Use sempre o bom senso.

As informações apresentadas neste material podem contribuir para uma convivência tranquila e satisfatória. Porém, existe ainda muito conteúdo sobre este assunto.

Se você nunca parou para refletir sobre como é o mundo desde a ótica de uma pessoa com deficiência agora é o momento.

Busque outras fontes de informação. Quanto mais conhecimento mais fácil será a abordagem na interação com as pessoas com deficiência.

Afinal, nem só de primavera vive o mês de setembro e se fizermos a nossa parte ele será verde de fato, trazendo um pouco mais de esperança para todos nós.

Assista o vídeo a seguir e saiba mais.

Doe Órgãos - Setembro Verde
Doe Órgãos e Salve Vidas – Setembro Verde

Nota: A mulher na foto é Helen Adams Keller. Ela foi uma escritora, conferencista e ativista social norte-americana. Foi a primeira pessoa surdocega da história a conquistar um bacharelado.

Acesse outras matérias de minha autoria, clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here