Um Natal diferente – como a pandemia afetou nosso modo de ser

0
72
Um Natal diferente
Um Natal diferente – como a pandemia afetou nosso modo de ser

A pandemia afetou a vida de milhões de pessoas, como será neste natal?

Um Natal diferente dos demais, é o que se espera neste fim de 2020. Este será o primeiro da história a ser marcado por tamanha diferença, quando comparado a outros anos e comemorações.

O contexto pandêmico potencializou algumas regras que contrapõem o espírito natalino: o encontro das gentes para comemorar o nascimento do Cristo! Todo espaço de aglomeração, ainda que intrafamiliar, precisa ser adaptado para evitar o contágio direto do Coronavírus.

Contudo, frente a centenas – para não dizer milhares – de vidas ceifadas pelo COVID-19, uma lacuna foi estabelecida entre muitas famílias. Mas a vida continua, e o combate ao vírus revela a grande luta para evitar uma possível extinção humana.

Para milhões de cristãos [e não cristãos], o Natal configura-se mais um dia do calendário. Para esses, a falta de recursos frente as crises financeiras instaladas na pandemia, leva-os a ignorar esse momento de confraternização. Não por omissão, mas por subjugação!

O Natal, em sua essência, é uma data que nos inspira. Um dia especial, quando se rememora o nascimento D’aquele que, vindo humano, tornou-se Divino, depois de padecer muitas dores, mas, ainda assim, derramou seu sangue por nós.

Lamento que essa essência, a cada novo Natal, perca-se frente às muitas assimilações e sublimações com outras ideias e crenças, que tendem a ignorar ou mesmo negar, o verdadeiro sentido do Natal. Algumas crianças e jovens da atualidade, sequer referem a data à pessoa de Jesus.

Diante de tantas mudanças, desesperanças e falsas crenças, criamos inúmeras estratégias de enfrentamento de nossas dores e lutos. Mas o Natal pode ser sim, um momento de ressignificação de toda dor, e lugar de alegria e confraternização!

As luzes e sorrisos inspiram esperança, e na presença do Filho do Carpinteiro de Nazaré, temos uma fonte inesgotável de vida e gozo, que nos leva a dimensões de renovo e paz! Nele há vida e redenção!

Mas, na realidade de hoje, as crianças aspiram a chegada do Natal para escreverem seus pedidos ao Papai Noel. Esses pequenos gestos revelam certa inocência, mas também, a descrença Naquele que é o verdadeiro sentido do Natal.

Seria possível um Natal diferente, menos consumista e mais fraterno entre os homens e que os levasse a considerar a vida um presente, mesmo num contexto de luto e desesperança?

Penso que sim! E isso nos motiva a escrever. Apesar de muitas tradições sublimarem ou suplantarem a verdadeira essência do Natal, não hesito em provocar este lugar de reflexão quanto à oportunidade do renovo.

Ao recordar-nos sobre o verdadeiro sentido do Natal – que etimologicamente significa nascer – podemos sim, juntos ou separados, compreendermos que “Ebenezèr!”: Até aqui nos ajudou o Senhor!

Natal – Re-nascer! A compreensão da dinâmica desse simbólico nos redireciona a dimensões menos hedonistas e egoicas. Leva-nos a ressignificar e reinventar novos modos-de-ser, a partir do exemplo D’aquele que nos trouxe luz ao mundo em trevas.

Lamento que muitos estabeleçam crenças e padrões inflexíveis de perfeição utópica. Na realidade existente, tudo procede do caos. Não é a primeira vez que a humanidade é convidada a reescrever sua trajetória terrena em meio ao caos.

O mundo ao ser criado do caos, evolui à sua objetividade pela Palavra do Criador. Do caos Ele trouxe todas as formas de vida existentes. Deu forma e sentido e ao homem entregou para modelar a natureza, segundo seu coração.

Neste lugar de trevas e morte: houve Luz! Pela luz, todas as outras coisas foram possíveis de serem percebidas. Pela luz, houve compreensão das trevas e separação do firmamento. Uma luz guiou os magos na forma de uma estrela ao encontro de seu Messias.

Neste ano de 2020, um mesmo fenômeno que ocorreu durante o nascimento de Jesus, se repete. A conjunção de Saturno e Júpiter, que ocorre a cada 800 anos, será visível a olho nu em toda a Terra. A Estrela de Belém retorna, depois de tantos séculos.

Quem sabe, essa luz, seja a estrela guia que nos tira do deserto solitário de 2020 e nos direciona a um 2021 mais digno, justo, esperançoso e amoroso?

Para mim, em especial, 2020 foi um ano desafiador. Rompi e conclui ciclos que pareciam infindáveis. Reescrevi minha trajetória de vida, estando em linha de frente na atenção psicossocial e saúde mental, ainda que ameaçada pela minha própria saúde.

Ousei em alargar as fronteiras, mesmo em Lockdown! Aprendi a estar mais perto dos necessitados, independente de nossas distâncias, a ouvir suas queixas sem julgá-los, a motivá-los e lhes dar mais esperança através de meu exemplo de amor e disposição.

Foi um ao que minha saúde foi totalmente ameaçada, mas também o ano que fui mais surpreendida em minha fé! Barreiras intransponíveis foram rompidas! A vida ganhou novo sentido e força!

Saber viver está para além de estar vivo! Saber viver é compreender que a morte ali está. Mas, entre a linha do nascer e o Devir, somos desafiados cada dia a darmos um novo sentido ao existir. Quem sabe 2020 não tenha nos oportunizado romper com nosso velho eu cristalizado?

Quem sabe uma abertura em rumo a novas direções, rumos mais assertivos e deliberativos de oportunidades de alentos, carinhos e justiça. Percebermos frente a novas oportunidades, leva-nos a descobrir horizontes inalcançáveis, mas possíveis!

Foi assim que vivi 2020. Em meu silêncio brotou o pensar o pensamento. Alcancei lugares antes jamais percebidos, dei lugar a uma vida simples e objetiva, permiti alegria e leveza me dominar e elevar-me a lugares místicos e libertadores.

Foram três testagens para COVID-19. Mas o contágio aferido foi a gratidão e o reconhecimento que há alguém maior que eu a cuidar de mim: “Eis que D’us é o meu ajudador! O Senhor que sustenta a minha vida! ” (Sl. 54:4)

E foi crendo que você poderia ser alcançado por este singelo testemunho de amor e fé, que escrevi esta breve mensagem. Que tal um 2021 diferente, e não apenas este Natal?

Que nossas máscaras protetoras sejam as descartáveis, e que a verdade libertadora nos revele à face, o verdadeiro sorriso cheio de alegria e disposição de caráter na luta por um mundo mais digno e feliz!

Meu desejo é que o Verdadeiro Espírito do Natal, na pessoa de Jesus Salvador, alcance a todos vós, vivos e não vivos, através de seu imenso amor e bondade, e nos encha de emoções justas que venham liberar bênçãos sem medidas a todos que nos atravessarem!

Feliz Natal!

Clique aqui e acesse, curta e compartilhe minhas outras matérias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here