A seca severa e a geada no Brasil

0
86
A seca severa e a geada
A seca severa e a geada no Brasil

Variação de Preços do Café e Exportação do país

A seca severa e a geada causadas no Brasil trouxeram prejuízos ao agronegócio nacional. É cediço que as variações climáticos afetam o âmbito econômico e assim, no país diversas culturas foram afetadas, como o milho, cana e o café.

Ocorre que, fortes oscilações no preço do café foram registradas nas últimas semanas, principalmente, decorrentes da alteração verificada.

A mudança no clima assusta tanto produtor como indústria. É preciso ter planejamento a longo prazo perante possíveis imprevistos.

A seca severa e a geada no Brasil

Houve redução de safra decorrente da geada nas regiões produtoras de café, ocasionando em menor oferta e aumento de preço.

Diante dessa situação, o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) no dia 29 de julho de 2021, aconteceu virtualmente o evento global intitulado: “Avaliando gargalos pós-pandêmicos na logística do comércio internacional”.

Teve como parceria a Swiss Coffee Trade Association (SCTA) e a National Coffee Assocation (NCA), que juntou especialistas globais com o intuito de vislumbrarem uma análise mais abrangente de perspectivas futuras para a logística do café.

Posto isto, o Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC), no dia 10 de agosto de 2021, aprovou a criação de reserva no orçamento do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) no montante de R$ 1,32 bilhão para que atenda aos produtores de café que foram prejudicados pelas variações supramencionadas.

Importante pontuar que a temática da medida será encaminhada ao Ministério da Economia para que o Conselho Monetário Nacional (CMN) dê o aval em reunião extraordinária.

Logo, se obtiver a chancela do CMN, os valores serão dispostos após avaliações oriundas de oficiais que verificarão as perdas causadas pela geada em regiões cafeeiras.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) que conduzirá a sondagem com o auxílio de entidades do setor do café.

Para o diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Silvio Farnese, os recursos facilitarão as demandas dos produtores, exportadores, indústrias e cooperativas e que provavelmente até final do mês de agosto já deve se concretizar perante os bancos.

Quando se trata da bolsa de Nova York, houve crescimento de contratos futuros do café arábica apesar da queda do petróleo.

O mercado foi sustentado em virtude de aspectos técnicos independentemente de intempéries.

Diante disso, é notório que houve alargamento na precificação de cunho internacional. Consequentemente, custos devem ser repassados no tocante a produção, causando impacto em outras culturas no Brasil, como na avicultura e suinocultura.

Não obstante, apesar do recuo nas exportações consoante o Cecafé, o mercado cafeeiro brasileiro voltará a crescer, sendo nossos principais parceiros em 2021, os Estados Unidos, Alemanha, Bélgica, Itália e o Japão.

Acesse outras matérias de minha autoria, clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui