Como está sua “marca” no mercado hoje?

0
35
Sua marca

Este mês inicio nossa leitura com um questionamento. É com a pergunta “de que é feita uma Marca?” que indago o início da reflexão.

Você já parou para pensar em como definir uma Marca? Pois bem. Se ainda não, já comunico que não é trabalho fácil. A resposta não é tão simples como pode parecer, e já iremos entender o motivo.

Da mesma forma com a qual definimos um indivíduo, uma Marca não é feita apenas de uma característica ou atributo – e sim de um aglomerado de definições que tem relação direta com as ações que podem ser realizadas a partir disso.

Nós, enquanto seres humanos, somos feitos de valores e construímos quem somos através de um conjunto de crenças. E, a partir daí, vamos definindo quem somos ao longo da vida por meio dos elementos com os quais escolhemos nos relacionar.

Uma Marca também segue este padrão, metaforicamente. Vamos entender a seguir:
  • É feita de comunicação e de interação. Por meio disso, ela (deve) ajuda(r) o consumidor a resolver alguma necessidade ou sacia(r) algum desejo, utilizando uma linguagem com a qual esteja familiarizado, para que a mensagem seja recebida de forma impactante;
  • É imagem e é apresentação. É mais do que um produto ou um serviço – é como se estabelece na vida das pessoas;
  • Envolve percepção de valor. O que ela entrega ao consumidor? Por que ele deve escolher minha Marca, e não a outra? Se valor fosse algo subjetivo, água à venda no supermercado não seria apenas água, não é mesmo? Por que estamos dispostos a pagar R$ 1,50 em uma Marca “x”- e R$ 2,20 na “y”? Reflita.
  • Pode ser uma fonte de interação social. No que a empresa acredita? Qual bandeira ela levanta? Assim escolhemos àquela com a qual temos mais sinergia.
  • Marca (deve) faz(er) promessa e entrega(r). Se ela promete qualidade, precisa entregar qualidade. Apenas assim ela ganhará o direito de fazer novas promessas ao consumidor. Do contrário, perde sua credibilidade;
  • É reputação e reputação é a nova moeda, certo? Quanto vale a sua reputação? O que seus clientes dizem sobre você? As avaliações são positivas ou negativas? O que você faz com esta informação?
  • Precisa ter um propósito. Como este propósito pode ser revertido em resultados? Como oferecer mais do que um produto ou serviço, trazendo envolvimento e experiência às pessoas?;
  • Minha Marca, minha amiga. E se a Marca fizesse o papel de amigo? Ser amigo abre espaço para um tipo ainda melhor de consumidor: um fã. E ele vai espalhar aos quatro ventos o tanto que gosta da sua Marca. Mas atenção: o caminho para tornar-se um amigo do peito, irmão camarada, é longo – e deve seguir as demais definições que vimos acima.

Como está sua “Marca” no mercado hoje?

Fica à reflexão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here