Conexão: prazer, trabalho ou obrigação?

0
2395
Conexão - prazer, trabalho ou obrigação
Os limites morais e éticos ao utilizar os relacionamentos pessoais e interpessoais como um negócio

Conexão, segundo o Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, é “Ato ou efeito de conectar, de ligar ou de unir; ligação, união”. É também, “Aquilo que conecta, liga ou une”. E, por fim, é a “Relação lógica entre ideias ou fatos; coerência, nexo”.

Conectar, conhecer, interagir, relacionar e estar com pessoas deveria ser um prazer e uma alegria.

Mas, quais os limites morais e éticos ao utilizar os relacionamentos pessoais e interpessoais como um negócio?

Por exemplo: você já precisou estar em um local onde não desejava estar? Com quem não desejava estar? Suportando situações que não te fizeram bem? Quem não passou por isso que atire a primeira pedra.

Não precisamos nos comportar dessa forma para garantir conexões, networks e negócios.

Não precisamos estar onde não desejamos estar. As experiências que nos obrigam a fazer o que não desejamos são:

  • Relacionamentos violentos e abusivos;
  • Empregos por obrigação de renda;
  • Atividades por ego;
  • Lugares e atividades chatas e desmotivadoras;
  • Gente pessimista ou negativa.

Não dá para se livrar de todas as situações desagradáveis da vida; nem todos os eventos são produtivos; nem todas as atividades são prazerosas, mas, dá para tornar os momentos difíceis, desagradáveis e ruins, o mais breve possível.

Agora lá vão algumas dicas:
  1. Autenticidade:

Em qualquer situação, seja você mesma, se respeite, se ame e se valorize em primeiro lugar. Você não precisa estar onde você não quer, nem deseja ou não precisa estar.

Seja autêntica. Isso dá trabalho, pois, você será amada ou odiada e tudo bem; nem Jesus agradou a todas/os.

É muito desagradável ver as pessoas se moldando às necessidades das circunstâncias, de outras pessoas ou situações, apenas para se dar bem. A dissimulação, a falsidade destrói sua imagem social.

  1. Relacionamentos Assertivos:

Por onde passar, tenha a preocupação em construir relacionamentos assertivos, saudáveis, empáticos e de respeito com todas as pessoas. Notamos a forma como a pessoa é na forma como ela trata as pessoas com quem interage diariamente.

Como interage com seus familiares, crianças, pessoas próximas, como chama o garçom, como agradece um favor, como trata um subordinado ou cumprimenta um ascensorista no elevador.

Você é o que faz quando ninguém está vendo.

  1. Relações Estratégicas:

Você não precisa estar em todos os lugares. Construa seus objetivos estratégicos de interação, conexão e network para não ficar perdendo tempo em qualquer lugar ou com qualquer pessoa. O valor das conexões está nos seus objetivos, nas pessoas certas, na hora certa e realizando as atividades certas.

  1. Valoriza Sua Imagem:

Frequente lugares e eventos que elevam, valorizam sua imagem pessoal e social. “Diga me com quem andas, que te direi quem és”. Não adianta só querer ser ético, é importante ter atitudes, comportamentos e relacionamentos éticos. Você é o resultado das 5 pessoas com quem mais convive. Com quem você está convivendo?

Quais os lugares você está frequentando e como está conectando sua imagem?

  1. Conhecimentos Técnicos:

Conheça técnicas, recursos de relacionamentos pessoais e interpessoais, de comunicação, oratória e interação social para melhorar sua performance comunicacional.

Aprenda tudo sobre o que falar, quando falar e como falar. Lembre-se: você não controla tudo o que pensa, mas, é totalmente responsável por tudo que fala.

Esperamos que essas dicas possam ajudar você a entender onde você deve estar, onde você deve caber, onde você deve espremer para caber e onde você nem merece estar.

Como está sua conexão?

Clique aqui e acesse, curta e compartilhe minhas outras matérias.