Dez de Setembro, Dia Mundial do Combate ao Suicídio

0
106
Dia Mundial do Combate ao Suicídio
Dia Mundial do Combate ao Suicídio

Ajudar alguém com Depressão é estender a mão ao invés de usar os dedos para julgar.

Assim como o Brasil, vários países têm usado o dia dez de setembro como a data para o prevenção e combate ao suicídio.

No Brasil, a campanha conhecida como Setembro Amarelo é uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida, do Conselho Regional de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria.

A iniciativa é de extrema importância porque segundo a Organização Mundial de Saúde, nos últimos 45 anos a taxa de suicídio cresceu 40 % no mundo.

Setembro é considerado o mês de combate ao suicídio porque, na América do Sul, acontece o início da primavera, estação das flores e da esperança.

A cor amarela foi selecionada para esta campanha porque segundo profissionais de saúde mental ela é a cor da vitalidade, da energia, da alegria, do ânimo e do Sol.

Pesquisas comprovaram que pessoas que moram em lugres bruscos, com pouco Sol, podem desenvolver tendências à Depressão.

Já a flor escolhida para esta campanha é o girassol justamente por ter origem em uma lenda que fala de alegria e sol.

Reza a lenda que um girassol nasceu em um jardim de plantas coloridas. Mas as outras flores começaram a hostilizar o coitado com palavras:

Você não parece flor!
Você é desajeitado!

Então ele abaixou sua cabeça. Mas uma borboleta disse:

Não ligue para estas flores. Pois você é parecido com o Sol e se seguir seu brilho poderá ser o rei do jardim.

Assim o girassol passou a seguir o Sol com sua cabeça e nunca mais sentiu tristeza.

O suicídio vem geralmente de um estado depressivo que pode ser causado por gatilhos como:

  • Doenças físicas ou mentais;
  • Traumas;
  • Desemprego;
  • Problemas financeiros;
  • Decepções amorosas;
  • Baixa autoestima;
  • Problemas familiares;
  • Uso de tóxicos;
  • Bullying e assédio moral.

Na realidade, o suicida não deseja terminar com a própria vida. Mas sonha em cessar os próprios problemas.

Normalmente, o suicida costuma oferecer os seguintes sinais:

  • Mudança do apetite;
  • Alteração de sono;
  • Crises de choro com irritação;
  • Isolamento social;
  • Abandono de atividades corriqueiras;
  • Perda de rendimento na escola e trabalho;
  • Repetição de frases negativas.

Quando avistar alguém com as características acima, tente animar este seu colega e aconselhe esta pessoa a procurar ajuda de um profissional de saúde mental, telefonar para Centro de Valorização da Vida, que atende pelo número 188, e a procurar grupos de autoajuda.

Aqui, em Curitiba, há grupos para pessoas com Depressão que funcionam, gratuitamente, na Unidade de Saúde da Praça Ouvidor Pardinho.

Há filmes, novelas e livros que lidam com o tema através de delicadeza e consciência.

O problema é que por tratarem de um assunto considerado tabu, estas obras geraram polêmicas e algumas quase foram proibidas.

Porém, elas ajudam na conscientização do combate ao suicídio.

O ideal é que pais, professores e profissionais de saúde mental assistam a estes filmes polêmicos junto com seus filhos, alunos e pacientes.

Após isto é interessante que eles comentem com argumentos inteligentes sobre o assunto. As obras polêmicas são as seguintes:

1 – Sociedade dos Poetas Mortos: É um filme de Peter Weir, onde um professor ensina de forma otimista uma nova forma de aprender Literatura.

A parte polêmica é que um dos alunos é efeminado e sonha em ser ator. Por causa da rejeição do pai rígido, acaba de suicidando.
Aqui precisam ser debatidos problemas como a homofobia e intolerância por parte da família.
Pois segundo a Organização Mundial da Saúde, o número de homossexuais, que tentam o suicídio, na vida real, é muito alto.

2 – As Virgens Suicidas: É um filme de Sophia Copolla que narra o caso de cinco meninas criadas numa família rígida.

Tanto os pais quanto as garotas apresentam transtornos psiquiátricos.
Por causa destes problemas, as cinco meninas se matam de maneiras diferentes no final.
Aqui deve ser debatido que os transtornos mentais, se não tratados devidamente, podem causar suicídios.

3 – A Viagem: é uma novela brasileira, escrita por Ivani Ribeiro, que foi exibida pela primeira vez pela Rede Tupy em 1975.

Conta a história do criminoso Alexandre que se suicida, na prisão, e como castigo vai ao Vale dos Suicidas. Mas volta à Terra para se vingar dos seus supostos inimigos.
Na época, a novela quase foi proibida exatamente por abordar a relação entre suicídio e espiritualidade.
O folhetim fez tanto sucesso, que no começo dos anos 90, ganhou uma nova versão.

4 – O Menino Que Espiava Para Dentro: é um livro infantil escrito por Ana Maria Machado em 1983, mas que hoje está gerando polêmica porque algumas pessoas, entendem que há estímulo ao suicídio e à transexualidade, embora outros não, alegam que não há suicídio na obra.

Há uma parte onde o personagem principal, o garoto Lucas, dorme e pensa em se engasgar com um pedaço de maçã para conhecer um outro mundo.

Mas, depois ele viaja para dentro do seu espírito e vê que isto não é necessário.

Algumas pessoas acreditam que o livro estimula a transexualidade porque há um trecho em que o garoto revela que gostaria de ser a Branca de Neve para morder a maçã.

Porém, outros contestam e alegam que não existe estímulo propriamente dito. Pois no final da obra, o menino está dormindo e é acordado por uma princesa que se trata da própria mãe.

Neste caso, é necessário que os pais e professores leiam a obra com as crianças, e aos poucos vão explicando cada partes.

Por outro lado, os pais precisam e devem acompanhar as atividades dos pequenos na Internet. Principalmente depois dos casos do músico Yonlu e da blogueira Meg.

Yonlu, um adolescente talentoso se suicidou em frente às câmeras sendo estimulado por supostos fãs.

Já Meg era uma menina tímida, obesa e que tinha um blog de poemas.

Porém uma vizinha maldosa fez um perfil falso de menino e começou a paquerar a adolescente, no final ela escreveu:

  • O mundo seria melhor se você não existisse.
  • Se Mate!

Após isto Meg tirou a própria vida.

Infelizmente, o suicídio é um assunto considerado tabu na sociedade. Porém o melhor remédio é falar sobre ele. Este é o objetivo do Dia Mundial de Proteção ao Suicídio.

Quando você se sentir triste e com vontade de desistir da própria vida, procure um amigo para conversar, consulte um profissional de saúde mental e ligue para o Centro de Valorização da Vida – 188.

Hoje, 10 de setembro, há palestras gratuitas sobre o assunto em vários lugares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here