Precisa-se de Mulheres para não termos Candidaturas Laranjas

0
7222
Candidaturas Laranjas
Precisa-se de Mulheres para não termos Candidaturas Laranjas

A importância da postura ética das mulheres nas eleições em 2020

Candidaturas Laranjas – Não aceitem! Pois, definitivamente as mulheres sendo a maioria como eleitoras, deveriam refletir na representatividade política.

Vivemos em uma democracia onde as mulheres representam a maioria da população brasileira – segundo PNAD (2018) são 51,7% contra 48,3% de homens. Também elas são, segundo o TSE (2018), a maioria do eleitorado brasileiro, totalizando 52%.

Nesse ano estarão em disputa aproximadamente 60.000 vagas entre cargos para prefeitos/prefeitas e vice e vereadores/vereadoras.

Somente para o legislativo estão destinadas, aproximadamente, 48.860 vagas.

Por que as mulheres brasileiras, que são maioria numérica, não têm a mesma representatividade nesses espaços de poder?

As mulheres mesmo estando mais preparadas e mais qualificadas para atuarem no mundo público, sentem-se despreparadas, inseguras e com dificuldades de construção de uma identidade pessoal, social e política.

Pois, a liberdade e o empoderamento feminino, infelizmente, não nascem somente por decretos ou políticas públicas, por cotas de gênero, uma vez que, nem todas conseguem romper com as estruturas internas dos papéis sociais construídos historicamente e cristalizados como sendo “naturais” ou “coisa de mulher”.

E a política, infelizmente, não faz parte do “kit do ser mulher”. Assim, as mulheres, nos contextos de disputas, acabam sendo avaliadas como mais sensíveis, fracas, menos competentes, menos efetivas para as disputas, primeiro internas e depois externas.

Estando em um ambiente “masculinizado”, sendo julgadas como inadequadas, despreparadas, sem treinamento adequado para o seu desenvolvimento, as mulheres são afugentadas do universo da política e ainda são responsabilizadas porque não se dispõem a participar.

Porém, com a obrigatoriedade da cota de 30%, os partidos recorrem às estratégias imorais e ilegais das Candidaturas Laranjas, que consiste na formalização e no registro de candidaturas à revelia delas, apenas com o objetivo de cumprir as cotas.

São mães, irmãs, esposas e amigas que são usadas apenas para cumprir a obrigatoriedade legal.

Como gestora, pela Intrepeds – Instituto de Treinamento, Pesquisa e Desenvolvimento do Ser, trabalho há 30 anos com cursos, treinamentos e pesquisas voltados para a capacitação, treinamento e desenvolvimento das mulheres para exercerem efetivamente essa importante missão de cidadania.

Acredito que a capacitação, o envolvimento e o acolhimento das mulheres na vida pública e partidária é fundamental para que elas sintam esse espaço como sendo delas e se motivem a atuar e participar como protagonistas.

Desenvolvo atividades exclusivas para as mulheres candidatas e, com eles, pretendemos contribuir na criação de espaços metodológicos que possibilitem a expressão de um conhecimento que a mulher constrói na sua vida cotidiana; contribuindo para a construção de um instrumental que transforme o silêncio em palavras, voz, falas que expressem aquilo que elas pensam, sentem, vivem, escutam; estudando e buscando novas estratégias de comunicação social para que homens e mulheres alterem as relações sociais ainda opressoras, machistas e patriarcais.

A comunicação humana vai muito além das trocas de informações ou mensagem entre os indivíduos. Ela se materializa através de um processo orquestrado e organizado, que combinam inúmeros fatores elementares para resultar numa interação saudável.

Esse processo é controlado por diversos contextos e fatores que se alinham harmoniosamente, para produzir uma compreensão mútua e solidária.

O ato de liderar pessoas é uma ação comunicativa que requer treinamento e compreensão dos processos de relacionamento interpessoal, de como se estabelecem a criação de vínculos positivos e como os mesmos podem resultar em integração e interação entre os envolvidos de forma eficiente e produtiva.

A prática da Oratória Assertiva é o mais perfeito instrumento do ser humano para persuadir, mostrar, confrontar, debater, convencer e influenciar as pessoas.

O Curso de Oratória Assertiva para Candidatas em 2020 tem como objetivo trabalhar as técnicas de persuasão, argumentação e contra argumentação para as pessoas que atuam no papel de liderança, desenvolvendo a capacidade de organização do discurso através da técnica L+O=3Cs (Lógica mais Objetividade igual a 3Cs – Concisão, Coerência e Criatividade).

Candidaturas Laranjas
Precisa-se de Mulheres para não termos Candidaturas Laranjas

Trabalhamos todas as técnicas de oratória moderna com foco no conteúdo, na comunicação verbal e não verbal, na análise das microexpressões, na qualidade e análise vocal de forma individualizada, eficiente e coerente.

E assim, com treinamento, capacitação e desenvoltura, acreditamos que as mulheres poderão realmente chegar à vitória com dignidade e autoridade ética e moral que possibilitem efetivamente nos representar na vida política.

Parceria aEmpreendedora e o Intrepeds – Instituto de Treinamento, Pesquisa e Desenvolvimento do Ser.

Atenção pré-candidatas(os) aproveitem esta parceria, preencha o formulário abaixo que entraremos em contato contigo. Evite cometer erros que comprometam seu nome e candidatura e também faça um dos cursos, bem como, a estruturação do seu planejamento estratégico de gestão política caso seja eleita(o).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here