Saudades do ex-abusivo. É loucura?

0
1504
Saudades
Saudades do meu ex-abusivo. É loucura?

Prepare-se para o conhecimento rumo à liberdade

Saudades do ex-abusivo é certamente um sentimento que causa confusão e leva a vítima a se questionar se realmente não é a culpada!

Recentemente, tratando sobre relacionamento abusivo no nosso Quadro “Meu Direito” no Programa Profissão Mulher na rede de TV NGT, recebi a seguinte pergunta de uma telespectadora:

“Por anos fiquei num relacionamento abusivo, onde o controle e a violência verbal eram frequentes até que ele terminou comigo e, como sempre, me culpou por isso. Conheci uma outra pessoa e começamos a namorar. Ele sempre me tratou muito bem, dificilmente brigamos, posso até dizer que é um relacionamento perfeito em comparação ao que eu vivia, mas eu sinto saudades do meu ex-abusador. Não sei o que fazer. Por que isso acontece?”

Ao término da pergunta, os participantes ficaram impactados com a narrativa da telespectadora.

Porém, ao contrário do que muitos acreditam, infelizmente os sentimentos dessa telespectadora não é excepcional.

E se essa for a sua realidade, calma! Você não perdeu a sanidade mental.

De fato, algumas pessoas que estiveram num relacionamento abusivo acabam testemunhando que sentem falta do abusador, mesmo estando vivendo num relacionamento saudável.

E há muitas razões para isso.

A primeira delas é o tempo.

Antes de se envolver em novo relacionamento é importante que a vítima dedique tempo para amar a si própria, fazendo, também, coisas interessantes e que lhe dê prazer, a ponto de ser capaz de dizer “não” quando novamente tentarem machucá-la.

Quando se é feliz só, a porta é fechada para a dinâmica da violência, qualquer que seja ela.

E o que isso significa se a porta permanece aberta?

Como já explicitado nos meus artigos anteriores onde trato sobre o assunto, num relacionamento abusivo há a junção perfeita do abusador e a vítima.

Enquanto a vítima tem tudo para dar e não requer nada, o abusador quer tudo e não tem nada para dar – é a chave e a fechadura.

Como se vê, é essencial que a vítima se torne dissonante, impedindo qualquer harmonia com qualquer pessoa que possa figurar como abusador em sua vida.

Como se desmembrar definitivamente dessa junção?

Somente com o desenvolvimento do autoconhecimento.

Aliás, a ausência do autoconhecimento é justamente o segundo motivo que leva a vítima a sentir falta e saudades do ex-abusivo, mesmo que esteja em outro relacionamento saudável.

A viagem ao seu interior permite alcançar o autoconhecimento e consequentemente lhe dá a capacidade de concluir por quais razões permaneceu e anuiu o abuso.

Tais conhecimentos são de extrema importância para que cada uma das suas feridas seja localizada e, logo a seguir, tratadas, individualmente e para isso é necessário decisão, dedicação e persistência.

Não se iluda.

Tratar feridas dói; é preciso retirar toda a pus de cada uma delas que, não raras as vezes, produzida em alto grau de profundidade.

E mais.

Tal como o abusador não conhece as razões pelas quais abusa, a vítima, igualmente, não tem ciência do porquê aceita o abuso – ambos sofrem do mesmo mal.

A diferença é que a vítima, que tem muito a dar, com muito mais facilidade, se abre ao novo e se dispõe a trabalhar em si mesmo.

A terceira razão é o vício.

A vivência do desejo de voltar a viver o amor perfeito e do prazer sentido, quando o abusador lhe fornecia migalhas de amor, mesmo que logo após o terror era novamente vivido, infelizmente, sim, pode viciar.

Já ouvi relatos de vítimas que me disseram que estar num relacionamento abusivo era chato demais.

Embora a dor possa ser visceral, há estudos que revelam que pode viciar, tal como uma droga.

Como se pode notar, há razões plausíveis para sentir saudades do ex-abusivo mesmo vivendo um relacionamento saudável.

Lembre-se: o externo é reflexo do seu mundo interno.

Apenas faça o que é preciso e obterá a liberdade.

Você merece!

Para saber mais sobre o assunto acesse meus artigos anteriores sobre relacionamento abusivo.

Acesse outras matérias de minha autoria, clique aqui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor insira seu nome aqui