Experiências para práticas educativas

0
98

A ONG Anjos da Cidadania concebe a questão educativa como um princípio que perpassa toda a sua prática e como uma questão de desenvolvimento humano, pois ela capacita para a mudança tanto de voluntários como dos participantes seja crianças ou adultos.

Entendemos que o atendimento é também uma troca de experiência entre a vivência da comunidade e das pessoas que realizam o atendimento.

Dentro da ONG, seja nos grupos educativos, seja nos seminários e nas consultas individuais, a proposta é valorizar a experiência das pessoas, abrindo mão de uma postura arrogante de quem pensa que detém o poder e o único conhecimento. Todas as mulheres que vêm até o nosso serviço, sem exceção, têm uma experiência e uma realidade de vida peculiar, que precisam ser levadas em consideração. Claro que valorizamos o conhecimento que adquirimos nos nossos locais de formação e com a comunidade e sabemos muito bem o nosso ofício, mas a experiência dos demais também é fundamental para o nosso aprimoramento.

No grupo, ajudamos na medida do possível as crianças a escolher, a refletir e a exercer sua autodeterminação. Não impomos ideias, mas informamos e colocamos à disposição delas ferramentas para que possam ter do corpo, dos princípios de bons valores. A partir daí, elas passam a serem sujeitos ativos tanto na ONG, quanto nas redes pública e privada da comunidade.

A educação abarca mais do que transmissão de conhecimentos. Ela dá uma contrapartida da experiência. Ensinar as pessoas não o que é certo ou errado, mas o que é melhor dentro da realidade de vida delas. Assim, damos a conhecer as possibilidades de tratamentos: como funcionam, quais os efeitos colaterais, as vantagens e desvantagens de cada caminho. Com essas informações, elas exercerão o direito de escolher o que é melhor para elas.

 

Cláudia Kobayashi
Responsável técnica de Psicologia
CRP 08/12304
Clínica Biografia Corpo e Mente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here